Petrobras desiste da construção de refinaria do Comperj

Depois de concluir a falta de atratividade econômica do empreendimento, a Petrobras, juntamente com a chinesa CNPC, decidiu cancelar a construção da refinaria do Comperj, em Itaboraí (RJ). Segundo a estatal, o estudo sobre o empreendimento concluiu que a finalização não teria atratividade econômica.

Agora, a Petrobras estuda alternativas para utilizar a área do Comperj. Entre elas, está a integração da refinaria Duque de Caxias (Reduc) com algumas unidades hibernadas da unidade que estava em construção, para a produção de lubrificantes básicos e combustíveis de alta qualidade a partir de produtos intermediários da Reduc enviados para processamento no Comperj através de dutos.

Outra possibilidade é a construção de uma termelétrica, em parceria com outros investidores, utilizando gás natural do pré-sal.

Segundo a Petrobras, está mantida a implantação do Projeto Integrado Rota 3, de gás natural, que vai permitir o escoamento de 21 milhões de m³ por dia de gás a partir de 2021. O projeto inclui um gasoduto e uma unidade de processamento.

Em relação à CNPC, a companhia afirma que continuará buscando oportunidades de parcerias. As duas companhias já atuam juntas na exploração da área de Libra, e recentemente, formaram consórcio para ficar com o campo de Búzios, no leilão da cessão onerosa.