PetroRio compra embarcação e 80% do campo de Tubarão Martelo

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A petroleira PetroRio informou nesta segunda-feira que comprou a plataforma de óleo e gás do tipo FPSO OSX-3, por 140 milhões de dólares, conjuntamente com a aquisição de 80% no campo de Tubarão Martelo, onde está a embarcação.

A participação em Tubarão Martelo foi comprada da Dommo Energia (antiga OGX), enquanto a OSX-3 pertencia à OSX3 Leasing, que até então afretava o FPSO à Dommo para uso no campo, informou a Dommo em um comunicado em separado.

As duas transações, segundo a PetroRio, irão permitir a integração entre os campos de Polvo, já operado por ela, e Tubarão Martelo, ambos na Bacia de Campos.

"Os dois negócios irão gerar sinergias significativas, redução de custos, extensão da vida econômica dos dois campos e menores emissões diante da operação integrada", disse o presidente da PetroRio, Nelson Queiroz Tanure.

Os custos operacionais somados dos campos, atualmente em mais de 200 milhões de dólares ao ano, devem cair em cerca de 70 milhões de dólares por ano, depois de implementadas sinergias com logística e operação, afirmou a companhia.

Com isso, a PetroRio prevê que os custos de produção do novo polo poderão alcançar cerca de 15 dólares por barril, resultando em aumento previsto da vida econômica dos ativos até cerca de 2035 e com impacto positivo na produção e acréscimo de reservas de 40 milhões de barris, totalizando 52 milhões de barris.

"Tubarão Martelo produz atualmente cerca de 5.800 barris/dia, mas esse volume poderá chegar a até 10 mil barris/dia, após a conclusão da campanha de revitalização do campo em curso. O novo polo poderá atingir produção estimada de 20 mil barris/dia a partir de 2021", disse a empresa.

A PetroRio acrescentou que a aquisição dos 80% do campo de Tubarão Martelo terá como contrapartida a assunção de 100% dos custos de operação do campo, com direito a comercializar inicialmente 80% do óleo produzido.

Após a interligação dos campos de Tubarão Martelo e Polvo, prevista para meados de 2021, a PetroRio ficará com 95% de participação no novo polo produtor integrado; e a Dommo (atual operadora), com os 5% restantes.

O investimento na integração dos dois ativos, distantes apenas 9 km, está previsto para ser entre 50 milhões e 60 milhões de dólares, disse a PetroRio, que teve a Prisma Capital como assessora financeira no processo, que inclui o financiamento de 100 milhões de dólares para o projeto.

As operações dependem de aprovação de órgãos reguladores, como o de antitruste Cade e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

None

(Por Marta Nogueira)