Políticas econômicas devem apoiar pessoas e empresas, diz OCDE

Organização aponta que medidas devem continuar a ser adotadas para proteger o emprego e buscar uma recuperação econômica

OCDE vê "desafios significativos" para se chegar aos mais vulneráveis

OCDE vê "desafios significativos" para se chegar aos mais vulneráveis

Marcello Casal/Agência Brasil

A OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) afirma que as políticas tributária e fiscal devem continuar a apoiar as pessoas físicas (consumidores) e jurídicas (empresas), limitando as dificuldades causadas pelas restrições ao movimento atualmente.

Além disso, a entidade diz que essas medidas devem continuar a ser adotadas por enquanto, para proteger o emprego e buscar uma recuperação econômica da pandemia global.

Leia mais: Caixa libera auxílio de R$ 600 para 1,6 milhão nesta quarta-feira

As declarações constam de nova análise da OCDE, divulgada em relatório. A entidade publicou o documento Política Tributária e Fiscal em Resposta à Crise do Coronavírus durante reunião virtual dos ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais do G-20.

O relatório discute como essas políticas podem absorver o impacto das medidas de mitigação dos novos casos e subsequentemente apoiar a recuperação econômica.

"Ele também delineia as importantes reformas políticas que serão necessárias para preparar a restauração das finanças públicas", detalha a OCDE em comunicado.

A OCDE diz que muitos governos agiram rápido e de modo extensivo, mas aponta que há "desafios significativos" para se chegar aos mais vulneráveis.

Ela afirma ainda que os países em desenvolvimento necessitarão de apoio específico - "notadamente apoio financeiro significativo" - para ajudar seus sistemas de saúde e fiscal a suportarem os choques atuais.