Preço da casa própria abre 2020 em alta e 'apê padrão' sai por R$ 470 mil

Valor médio cobrado pelo metro quadrado construído no Brasil aumentou 0,16% em janeiro, para R$ 7.236, afirma FipeZap

Variação do preço dos imóveis segue abaixo da inflação

Variação do preço dos imóveis segue abaixo da inflação

Alexandre Garcia/R7

Os brasileiros que procuraram por uma casa própria em janeiro amargaram uma alta de 0,16% no preço dos imóveis residenciais, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (5) pelo índice FipeZap, que analisa o valor do metro quadrado construído nas 50 principais cidades do Brasil.

Com a movimentação do mês passado, o valor do espaço mínimo de terra subiu para R$ 7.236, o que eleva para R$ 470.340 o preço médio para se tornar proprietário de um apartamento "padrão", com 65 m² e até dois dormitórios, em território nacional.

A leve valorização no preço médio do metro quadrado ocorre após o indicador ficar estável e acumular queda real de 4,13% em 2019. Nos últimos 12 meses, a alta registrada pelo FipeZap é de 0,02%, o que mantém o índice com variação abaixo da inflação.

Leia mais: Transferência de dívida de imóvel dispara com queda dos juros

Entre as 50 localidades pesquisadas, 30 apresentaram altas nominais no primeiro mês de 2020. Entre os destaques com valorização acima de 1% no período aparecem Barueri (SP), Contagem (MG) e São Leopoldo (RS), onde os preços do metro quadrado saltaram 1,42%, 1,11% e 1,02%, respectivamente.

Cidades

Mesmo com a queda de 2,13% no valor dos imóveis nos últimos 12 meses, o Rio de Janeiro (RJ) continua na ponta da lista como o lugar mais caro para se tornar dono de um imóvel no país. Na capital fluminense, cada metro quadrado construído custa, em média, R$ 9.290 para o comprador.

Em seguida, aparece São Paulo (SP), onde o preço dos imóveis subiu 0,33% em janeiro e acumula alta de 2,29% nos últimos 12 meses. Na capital paulista, o interessado em colocar as mãos nas chaves de um imóvel novo deve estar disposto a desembolsar cerca de R$ 9.006 por cada metro quadrado da propriedade.

Veja mais: Construção sinaliza recuperação e compra do imóvel fica atraente

Na disputa pela terceira colocação do ranking, Brasília (DF) recuperou a posição ocupada por Balneário Camboriú (SC) ao final de 2019 com o preço médio do metro quadrado construído estimado em R$ 7.353.

A cidade catarinense, por sua vez, registrou queda de 0,55% no valor do espaço mínimo de terra, para R$ 7.255, e completa a relação de localidades com o valor do metro quadrado acima da média nacional.

Na outra ponta da relação, a cidade de Betim (MG) se manteve com o metro quadrado mais barato do país (R$ 3.019) após a redução de 0,65% no preço dos imóveis anunciados na região. O município mineiro é seguido por São José dos Pinhais (PR), Pelotas (RS) e Contagem (MG). Nas localidades, cada espaço mínimo de terra está avaliado por R$ 3.411, R$ 3.634 e R$ 3.732.