Preço do petróleo atinge valor negativo pela 1ª vez nos EUA

Barris do petróleo WTI nas bolsas norte-americanas para o mês de maio desabou 306% nesta segunda-feira e fechou o dia cotado a -US$ 37,63

Preço do petróleo é impactado pela queda da demanda

Preço do petróleo é impactado pela queda da demanda

Nick Oxford/ Reuters - 11.02.2019

Os contratos futuros do petróleo nos Estados Unidos foram negociados em valores negativos pela primeira vez na história nesta segunda-feira (20), com o primeiro vencimento terminando o dia a impressionantes US$ 37,63 negativos por barril. A queda ocorre em meio à baixa demanda pelo combustível diante do avanço da pandemia do novo coronavírus, que resultou no isolamento social de boa parte da população mundial.

O contrato maio do petróleo dos EUA fechou em queda de US$ 55,90, ou 306%, a -US$ 37,63 por barril, depois de tocar uma mínima histórica de -US$ 40,32 na sessão.

Os preços negativos do petróleo nos EUA significam que, pela primeira vez na história, vendedores têm de pagar aos compradores para que estes recebam os contratos futuros. Ainda não está claro, porém, se a queda chegará aos consumidores.

O Brent, valor de referência internacional, cedeu US$ 2,51, ou 9%, para US$ 25,57 o barril. A fraqueza não foi nem de longe tão grande quanto à do WTI, uma vez que globalmente há mais espaço disponível para armazenamento.

Leia também: Petrobras reduz preço da gasolina em 8% nas refinarias

A Arábia Saudita e a Rússia até chegaram a um acordo há mais de uma semana para cortar a oferta de petróleo em 9,7 milhões de barris por dia, mas isso não deve fazer com que o excesso de oferta global seja reduzido rapidamente.

Os valores do petróleo Brent colapsaram em cerca de 60% desde o início do ano, enquanto o petróleo dos EUA recuou cerca de 85% no período, para níveis muito abaixo do ponto de equilíbrio necessário a muitos produtores, o que levou à interrupção de perfurações e a drásticos cortes de gastos.