Preço do petróleo cai após reunião adiada da Arábia Saudita e Rússia

Encontro iria discutir sobre corte da produção, que poderia ajudar a reduzir o excesso de oferta global já que coronavírus diminui demanda

Petróleo Brent recuava US$ 1,14

Petróleo Brent recuava US$ 1,14

REUTERS/Vasily Fedosenko

Os preços do petróleo caíam nesta segunda-feira (6), após Arábia Saudita e Rússia terem adiado uma reunião para discutir cortes na produção de petróleo que poderiam ajudar a reduzir o excesso de oferta global à medida que a pandemia de coronavírus derruba a demanda.

O petróleo Brent recuava US$ 1,14, ou 3,34%, a US$ 32,97 por barril, às 8h06 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 1, ou 3,53%, a US$ 27,34 por barril.

Encher o tanque com gasolina ficou R$ 15 mais barato em 11 semanas

Mais cedo, o Brent chegou a cair mais de US$ 3, quando os mercados na Ásia abriram, mas ele recuperou algum terreno em meio a esperanças de que um acordo entre os principais produtores ainda possa ser alcançado.

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e seus aliados, um grupo conhecido como Opep+, deverá se reunir na quinta-feira, ao invés da segunda-feira, como previsto anteriormente, para discutir cortes de produção.

"Talvez seja melhor que o encontro tenha sido adiado, para que os produtores firmem um mínimo terreno comum antes que as discussões reais aconteçam na quinta-feira", disse o analista do BNP Paribas Harry Tchilinguirian.

Ele destacou, no entanto, que um desapontamento inicial com o adiamento derrubou os preços na abertura dos negócios na Ásia.

O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, disse nesta segunda-feira que a Rússia está pronta para cooperar com outros países e ajudar a estabilizar o mercado de petróleo e que a reunião da Opep+ foi adiada por motivos técnicos.