Economia Preço spot do GNL na Ásia recua de máximas por previsão de clima mais quente

Preço spot do GNL na Ásia recua de máximas por previsão de clima mais quente

COMMODS-GNL-ASIA:Preço spot do GNL na Ásia recua de máximas por previsão de clima mais quente

Reuters - Economia

Por Jessica Jaganathan

CINGAPURA (Reuters) - Os preços spot do gás natural liquefeito (GNL) na Ásia recuaram de máximas recorde, com operadores de mercado antecipando temperaturas mais quentes na região e com expectativas de retorno no suprimento a partir de algumas áreas.

O índice Japan-Korea-Marker (JKM), calculado pela agência de precificação S&P Global Platts e usado como referência para mercados spot na Ásia, caiu na sexta-feira para 26,99 dólares por milhão de btu (unidade térmica inglesa) para carregamentos com entrega em fevereiro, segundo dados da Platts.

Isso representa uma redução de quase 17% ante uma máxima recorde de 32,50 dólares por milhão de btu atingido na última quarta-feira.

O preço médio para o mês completo de fevereiro era de 18,309 dólares por milhão de bpu, segundo os dados da Platts.

"Os preços estão começando a se acalmar agora, uma vez que se espera que fique mais quente nas próximas semanas", disse um operador do mercado de GNL em Cingapura.

As temperaturas em Tóquio, Seul, Pequim e Xangai devem subir para níveis acima da média nas próximas duas semanas, de acordo com dados meteorológicos do Refinitiv Eikon.

Temperaturas excepcionalmente baixas haviam levado os preços da eletricidade a dispararem no Japão, onde os estoques de GNL caíram para níveis críticos em algumas regiões.

E, embora a atividade industrial na China, segundo maior importador global de GNL, tenha se recuperado mais rápido do que em outros países, ela registrou alta recente em surtos de coronavírus, o que levou a "lockdowns", que por sua vez impactaram atividades de logística e industriais, o que também gerava preocupação entre operadores de mercado.

A Platts está prevendo que os preços spot cairão para 6,10 dólares por milhão de btu, o que é cerca de 35 centavos de dólar abaixo da curva atual, disse uma porta-voz à Reuters.

Últimas