Inflação

Economia Preços na 'porta da fábrica' desaceleram em novembro

Preços na 'porta da fábrica' desaceleram em novembro

Apesar da alta de 1,39% no mês, em outubro a inflação na indústria chegou a 3,41%, a maior já registrada pelo indicador do IBGE

  • Economia | Do R7

Alimentação puxou alta no índice em novembro

Alimentação puxou alta no índice em novembro

REUTERS/Leonardo Benassatto

A inflação da indústria subiu 1,39% em novembro de 2020 na comparação com outubro, a menor variação observada em cinco meses.

Venda de carros no país amarga o maior tombo em cinco anos

O IPP (Índice de Preços ao Produtor), divulgado nesta terça-feira (5) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação.

Apesar da alta, houve uma desaceleração em relação ao resultado de outubro, quando o índice havia registrado a maior alta da série histórica (3,41%), iniciada em 2014.

O indicador já conta com dezesseis altas consecutivas e elevações históricas nos acumulados do ano (18,92%) e dos últimos 12 meses, com 19,69%.

Houve altas de preços em 19 das 24 atividades avaliadas e a grande responsável pela elevação foi a atividade alimentar, com inflação de 2,76%.

O setor de alimentação representa 25% de todo o IPP e foi responsável elevar em 0,71 ponto percentual o índice de 1,39% registrado em novembro.

"Este já é o quinto aumento consecutivo de preços dos alimentos, que acumulam, no ano, um crescimento de 32,01%, o maior desde 2010, e, em 12 meses, de 35,19%”, afirma Manuel Souza Neto, gerente do IPP (veja o vídeo abaixo).

Últimas