Novo Coronavírus

Economia Prévia da inflação tem menor patamar para junho desde 2006

Prévia da inflação tem menor patamar para junho desde 2006

Preço das passagens aéreas foi uma das principais influências negativas para o resultado de junho, com recuo de 26,08%

  • Economia | Giuliana Saringer, do R7

Preço das passagens aéreas tiveram recuo em junho

Preço das passagens aéreas tiveram recuo em junho

Divulgação/Inframerica

A prévia da inflação registrou o menor patamar para o mês de junho desde 2006, quando a taxa era de -0,15%, de acordo com o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15), divulgado nesta quinta-feira (25) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

O indicador variou 0,02% frente a maio (-0,59%). Em junho, diversos estados do país já enfrentam o isolamento social por três meses como forma de tentar frear a disseminação do coronavírus e sentem os impactos da pandemia na economia

Um dos setores mais prejudicados pela pandemia, o turismo viu queda no preço das passagens aéreas, uma das principais influências do resultado de junho, com recuo de 26,08% frente a -27,08% em maio. 

Os combustíveis ficaram mais baratos aos brasileiros pelo quarto mês consecutivo, com queda de 0,17% na gasolina, 4,39% para ao diesel e -0,49% para o etanol. Já o gás veicular ficou mais caro, passando de -1,21% em maio para 0,84% em junho. 

De janeiro a junho deste ano, a prévia da inflação acumula alta de 0,37% e de 1,92% nos últimos 12 meses.

Alimentação mais cara

Comprar comida pesou mais no bolso dos brasileiros em junho, já que o grupo de alimentação e bebidas (0,47%) foi o com o maior impacto positivo no IPCA-15.

Os itens com maiores altas foram a batata-inglesa (16,84%), as carnes (1,08%), a cebola (14,05%) e o feijão-carioca (9,38%). Comer fora de casa também ficou mais caro em junho (0,26%), especialmente por conta do lanche (0,82%), cujos preços haviam subido 0,64% no mês anterior.

Para quem decidiu economizar, as melhores escolhas foram o tomate (-12,36%), a cenoura (-12,05%) e as frutas (-0,80%). 

Prévia da inflação trimestral

O IBGE também divulgou nesta quinta o IPCA-E, que é o acumulado trimestral do IPCA-15. Segundo a pesquisa, a prévia da inflação recuou 0,58% de abril a junho deste ano, o menor patamar para o indicador desde setembro de 1998 (-0,92%). No mesmo trimestre de 2019, o indicador ficou em 1,13%. 

Metodologia da pesquisa

Os dados do IPCA-15 foram coletados de 15 de maio a 15 de junho e comparados com aqueles vigentes de 15 de abril a 14 de maio de 2020.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, que mede a inflação oficial do país, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

Últimas