Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Procon-SP questiona atendimento da 123milhas após aprovação da recuperação judicial

Órgão de defesa quer saber como a empresa vai atender os consumidores e resolver as reclamações que foram registradas

Economia|Do R7


Mulher passa por painel da 123Milhas em aeroporto. Agência Brasil / Rafa Neddermeyer
Mulher passa por painel da 123Milhas em aeroporto. Agência Brasil / Rafa Neddermeyer

O Procon-SP enviou requerimento de informações à 123milhas sobre como a empresa, que teve pedido de recuperação judicial aceito pela Justiça de Minas Gerais na quinta-feira (31), irá se organizar para atender a seus consumidores e para tratar das reclamações que foram registradas junto ao órgão. À Justiça, a companhia declarou ter um dívida acumulada de cerca de R$ 2,3 bilhões. 

A recuperação judicial foi aprovada pela juíza Cláudia Helena Batista, da 1ª Vara Empresarial de Belo Horizonte.

Em sua solicitação, o Procon-SP pede que os esclarecimentos sejam feitos presencialmente pela 123milhas, para agilizar as possíveis soluções para os consumidores paulistas.

Compartilhe esta notícia no Whatsapp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

Segundo o órgão, foi muito importante a decisão da juíza determinar que o plano de recuperação da empresa contenha medidas de reparação para os consumidores, já que a atuação no varejo é o principal meio de captação de recursos da agência online de viagens, e os clientes foram os maiores prejudicasos pela suspensão dos pacotes já pagos.

Publicidade

Luiz Orsatti Filho, diretor executivo interino do Procon-SP, afirmou que, com a entrada da 123milhas em recuperação judicial, o órgão "agora se preocupa em como auxiliar os mais de 5.000 consumidores que registraram suas reclamações e que precisam da melhor orientação sobre como devem proceder".

Ele disse que a decisão da juíza evidencia a importância do consumidor sempre formalizar suas reclamações junto aos órgãos oficiais.

Publicidade

Orsatti Filho também falou que o caso da 123milhas pode ditar novos paradigmas porque, como a empresa se relaciona com um grande número de clientes, as consequências de suas decisões são amplificadas. "Com o agravante, neste caso específico, de se tratar de um grupo que adquiriu aos pacotes promocionais mais baratos, ou seja, são consumidores potencialmente mais vulneráveis, que precisam ainda mais do apoio dos órgãos de defesa, como o Procon-SP."

Além de tratar as reclamações registradas, o órgão também informou que a 123milhas foi multada em mais de R$ 2,5 milhões. Os dados das queixas dos clientes foram compartilhados com o Ministério Público, reforçanso a atuação do Procon-SP junto ao Poder Judiciário, na defesa dos interesses dos consumidores.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.