Inflação

Economia Projeção para inflação oficial está em 5%, aponta Banco Central

Projeção para inflação oficial está em 5%, aponta Banco Central

Relatório Trimestral mantém estimativa de IPCA para 2021 que constou na ata e no comunicado do último encontro do Copom

Agência Estado - Economia
BC mantém estimativa de inflação para 2021 em 5%

BC mantém estimativa de inflação para 2021 em 5%

Marcos Santos/USP Imagens

O BC (Banco Central) manteve sua estimativa de inflação para 2021 no cenário de referência, que utiliza juros conforme o Relatório de Mercado Focus e câmbio atualizado de acordo com a PPC (Paridade do Poder de Compra). Segundo o RTI (Relatório Trimestral de Inflação), divulgado nesta quinta-feira (25), este cenário indica um IPCA de 5% para este ano. O porcentual é o mesmo que constou na ata e no comunicado do último encontro do Copom (Comitê de Política Monetária ).

Para 2022, o cenário de referência indica que o IPCA ficará em 3,5%, também igual à ata e ao comunicado. A projeção para o IPCA de 2023, pelo cenário de referência, está também em 3,5%.

Para 2021, a meta de inflação perseguida pelo BC é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,25% a 5,25%). Para 2022, a meta é de 3,50%, com margem de 1,5 (taxa de 2% a 5%). Para 2022, a meta é de 3,25%, com margem de 1,5 (taxa de 1,75% a 4,75%).

O Banco Central também divulgou no RTI suas projeções de inflação de curto prazo, que abarcam os meses de março a maio de 2021. Neste período, de acordo com o BC, a pressão dos preços vai diminuindo.

A previsão do BC para o IPCA para março é de +0,82%. Já a projeção para abril é de +0,61% e, para maio, de +0,31%. No trimestre, a inflação ficará, pelos cálculos da autoridade monetária, em 1,5%. Já a previsão para o acumulado de 12 meses até maio está em 7,70%.

No Focus mais recente, divulgado na última segunda-feira, dia 22, as projeções do mercado financeiro para o IPCA eram de +0,90% em março, +0,45% em abril e +0,26% em maio.

Teto da meta

O Banco Central informou também que a probabilidade de a inflação de 2021 ficar acima do teto da meta, de 5,25%, está em 41%. O cálculo tem como base a Selic variando conforme o Relatório de Mercado Focus e o câmbio atualizado com base na PPC. Já a probabilidade de a inflação ficar abaixo do piso da meta em 2021, de 2,25%, é de apenas 1%.

Para 2022, a probabilidade de estouro do teto de 5% da meta é de 14%, a mesma taxa prevista para a possibilidade de estouro do piso de 2,00%. Para 2023, a probabilidade de estouro do teto de 4,75% da meta é de 18%. Já a possibilidade de estouro do piso de 1,75% da meta é de 10%.

Para 2021, a meta de inflação perseguida pelo BC é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (taxa de 2,25% a 5,25%). Para 2022, a meta é de 3,50%, com margem de 1,5 (taxa de 2,00% a 5,00%). Para 2022, a meta é de 3,25%, com margem de 1,5 (taxa de 1,75% a 4,75%).

Últimas