Coronavírus

Economia Quase metade dos empresários vê retorno à normalidade só em 2022

Quase metade dos empresários vê retorno à normalidade só em 2022

Para um quarto dos presidentes de grandes companhias, suas empresas e operações mudaram para sempre com a pandemia

Agência Estado - Economia
Apenas 22% dos empresários está confiante com crescimento da companhia

Apenas 22% dos empresários está confiante com crescimento da companhia

Pixabay

A aposta de retorno à normalidade nos negócios é projetada somente para 2022 entre 45% dos presidentes de grandes empresas, os chamados CEOs. Outros 31% acreditam que essa volta acontecerá ainda neste ano. Mais do que isso, 24% não esperam mais por essa normalidade e afirmam que suas empresas e operações mudaram para sempre com a pandemia.

Os dados fazem parte de uma pesquisa feita pela consultoria KPMG com 500 executivos de empresas com receita anual superior a US$ 10 bilhões, em 11 países (Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos), entre os dias 29 de janeiro e 4 de março.

"A pesquisa evidencia que os negócios nunca mais serão os mesmos em função da pandemia. Sairemos dela com aprendizados importantes para o futuro das empresas, das pessoas, da sociedade e do meio ambiente", diz Charles Krieck, presidente da KPMG no Brasil e na América do Sul, em nota.

"O futuro das empresas dependerá de iniciativas de negócios mais analíticas e tecnológicas, integradas com uma governança atenta aos aspectos econômicos, sociais e ambientais", completa Krieck. 

Os dados mostram que mais da metade, 55%, temem que nem todos seus funcionários tenham acesso a uma vacina contra a covid-19, o que poderá colocar alguns mercados e operações em desvantagem.

A maioria dos executivos entrevistados, 90%, vai solicitar aos empregados notifiquem a empresa quando forem vacinados. Outro ponto relevante é que 61% das empresas vão esperar uma imunização do país antes de pedir o retorno aos escritórios.

Maioria dos empresários vai pedir para funcionário informar quando for vacinado

Maioria dos empresários vai pedir para funcionário informar quando for vacinado

overno do Estado de São Paulo - 05.04.2021

Recuperação

A confiança dos CEOs no crescimento de suas empresas, setores e países no horizonte de três anos é elevada. No entanto, as perspectivas para a economia global são baixas.

De acordo com a pesquisa, as perspectivas dos entrevistados para o crescimento de suas empresas nesse período são: 22% muito confiantes, 66% confiantes, 11% neutros, 1% não muito confiantes. Sobre crescimento do setor, as perspectivas são: 23% muito confiantes, 67% confiantes, 8% neutros, 2% não muito confiantes.

Em relação às perspectivas de crescimento de seus países, as respostas são: 19% muito confiantes, 65% confiantes, 11% neutros e 5% não muito confiantes. Sobre perspectivas de crescimento da economia global, os dados são: 13% muito confiantes, 30% confiantes, 14% neutros, 39% não muito confiantes e 4% nada confiantes.

Últimas