Economia Queda de energia atinge 13 municípios do Amapá, diz distribuidora CEA

Queda de energia atinge 13 municípios do Amapá, diz distribuidora CEA

ENERGIA-AMAPA-ENERGIA:Queda de energia atinge 13 municípios do Amapá, diz distribuidora CEA

Reuters - Economia

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Amapá sofreu nesta quarta-feira uma nova queda de energia, que atingiu 13 municípios, após uma falha na comunicação com o Sistema Interligado Nacional (SIN), informou nesta quarta-feira a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), empresa responsável pela distribuição de energia no Estado.

O fornecimento foi normalizado 100% nos locais atingidos às 12h10, pontuou a companhia, adicionando que os municípios não afetados foram Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari.

Em nota, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) explicou que a falha no fornecimento de energia ocorreu após um desligamento na Subestação Macapá, que provocou a interrupção estimada de 184 MW de carga. O ONS também disse que "avaliará as causas da ocorrência junto aos agentes envolvidos".

CEA e ONS ressaltaram em notas separadas que atuaram prontamente para iniciar a recomposição do sistema e para que o completo fornecimento de energia em Macapá e demais cidades atingidas fosse restabelecido o mais rápido possível.

Procurada, a Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE), que opera a Subestação Macapá, afirmou que houve uma interrupção de poucos minutos no funcionamento de uma das instalações da Subestação Macapá, durante uma manutenção preventiva, "decorrente de surto de tensão originado nas linhas de média tensão que não são operadas pela LMTE, ou seja, externo as operações da LMTE".

A empresa disse ainda que "a falta de energia ocorrida nesta manhã não deveria acontecer no Amapá, mesmo havendo indisponibilidade momentânea de equipamento de transmissão, uma vez que o sistema de abastecimento na região não depende exclusivamente das instalações operadas pela LMTE e engloba uma cadeia sistêmica de geração e distribuição que deveria prever redundâncias e mecanismos para evitar cortes de carga".

(Por Marta Nogueira)

Últimas