Reabrir a economia cedo demais pode ser contraproducente para pessoas e mercados, dizem investidores

Por Ross Kerber e Megan Davies

BOSTON/NOVA YORK (Reuters) - O desejo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reabrir rapidamente a economia apesar dos sinais de que o coronavírus ainda está se espalhando pode sair pela culatra, com mais mortes e cidadãos com medo de sair, disseram alguns investidores.

Trump disse na segunda-feira que ao final de um período de paralisação de 15 dias, que termina no final do mês, "tomaremos uma decisão sobre o caminho que queremos seguir".

Na semana passada, Trump instou os norte-americanos a interromper a maioria das atividades sociais por 15 dias. Não está claro qual poder Trump realmente tem para simplesmente retomar a economia novamente por decreto.

As notícias de que Trump reabrirá a economia dos EUA em breve não foram bem recebidas pelos investidores, que continuam ansiosos com a trajetória incerta do coronavírus e seu custo econômico, disse Axel Merk, diretor de investimentos da Merk Investments.

"Os mercados reagirão mal porque aprenderam que essa abordagem não funciona", afirmou Merk. "Do ponto de vista médico, você precisa interromper o crescimento exponencial e faz isso com políticas de isolamento social em vigor."

None

ESTIMATIVAS

O desemprego nos EUA pode atingir 30% e a produção econômica no segundo trimestre provavelmente será metade do normal, disse o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard.

Jennifer Pline, chefe de gestão de patrimônio do Cambridge Trust em Boston, disse que é muito cedo para julgar se deve reabrir a economia ainda. "Precisamos esperar um pouco até obtermos mais tração e menos contágio com o vírus."

Economistas da Northwestern University e da Universidade Freie de Berlim estimaram que uma "política ótima de contenção" nos Estados Unidos aprofundaria a recessão subsequente, mas salvaria 600 mil vidas.

None

None

(Reportagem de Ross Kerber, Megan Davies, Ira Iosebashvili, Noel Randewich e Howard Schneider)