Receita das lojas de shoppings em SP desaba até 90% após reabertura

Associação que representa o setor estimam prejuízo de R$ 35 bilhões somente na capital paulista

Queda foi entre 80% e 90% para 73% das lojas

Queda foi entre 80% e 90% para 73% das lojas

Anderson Lira/Framephoto/Estadão Conteúdo - 11.06.2020

Lojistas de shoppings na capital paulista tiveram queda de até 90% na receita após a reabertura das atividades em relação ao período pré-pandemia, afirmou a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) nesta sexta-feira (26).

Segundo levantamento da entidade, feito entre 24 e 26 de junho com associados representando 4.000 pontos de venda no país, 32% dos lojistas relataram que o faturamento caiu 90%, enquanto para 41% deles a receita caiu em até 80%.

Leia mais: Bares e restaurantes se preparam para reabrir em SP

"A queda foi vertiginosa nas vendas, o que mostra o quanto o setor do comércio foi comprometido com a pandemia. Os prejuízos estimados estão em R$ 35 bilhões e só na grande São Paulo 10% das lojas não vão mais reabrir por falta de condições o que irá aumentar o desemprego, além da queda da arrecadação", afirmou Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.

Em todo o estado há cerca de 180 shoppings que empregam milhares de pessoas, além dos empregos indiretos gerados pela atividade econômica dos empreendimentos.

Para as lojas fora da capital paulista, 35% dos associados informaram uma queda de até 80% no faturamento, seguido de 29% que registraram queda de até 70% nas vendas.

Ainda de acordo com a consulta, 41% dos lojistas afirmaram que as venda online ainda não são relevantes para o faturamento. Para 26,5% esse canal movimenta até 10% do faturamento e 23,5% deles contaram que isso responde por até 20% do total.

Dos entrevistados, 71% afirmam aplicar descontos em produtos para estimular compras, mas 29% diz não ter condições de promover ações específicas no momento.