Reforma da Previdência

Economia Reforma barrou alta 'explosiva' dos gastos com Previdência, diz governo

Reforma barrou alta 'explosiva' dos gastos com Previdência, diz governo

Percentual dos gastos com aposentadorias em relação ao PIB caiu de 9,5% para 9,2%, destaca o PLOA 2021

  • Economia | Alexandre Garcia, do R7

Waldery: 'Reforma aumentou equidade dos gastos'

Waldery: 'Reforma aumentou equidade dos gastos'

Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo - 14.05.2019

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, afirmou nesta segunda-feira (31) que a reforma do sistema previdenciário aprovada em 2019 já impediu uma alta "explosiva" dos gastos do governo com aposentadorias.

De acordo com os dados do PLOA 2021 (Projeto da Lei Orçamentária Anual), os gastos com a Previdência passaram a corresponder a 9,2% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, ante 9,5% registrado no mesmo período do ano passado.

Apesar da queda no percentual dos gastos com aposentadorias nas riquezas nacionais, a despesa segue como a principal despesa primária do Orçamento nacional, passando de R$ 681.282 bilhões para R$ 704.416 bilhões.

Leia mais: Orçamento de 2021 prevê alta de 3,2% no PIB e dólar a R$ 5,11

"Isso é um efeito da reforma previdenciária, que trazia como grande ganho a redução no patamar de despesa primária. Ela continua crescendo, mas deixa de ter um crescimento explosivo, já tem uma queda no percentual do PIB e mostra o ganho de se ter reformas estruturais", avaliou Waldery.

Para o secretário, a reforma também aumentou a equidade dos gastos brasileiros. “O caráter distributivo do gasto brasileiro mudou fortemente com a reforma da Previdência”, comemorou.

Ao todo, a previsão do governo é de gastar R$ 1.516.799,9 trilhões em 2021, valor 3% superior às estimativas apresentadas para 2020, de R$ 1.472.533,20 trilhões.

Últimas