Reforma da Previdência
Economia Reforma da Previdência trará regime de capitalização, diz Guedes

Reforma da Previdência trará regime de capitalização, diz Guedes

Ministro da Economia afirma que a proposta será apresentada nesta quarta-feira ao presidente Jair Bolsonaro

Reforma da previdência

Guedes: capitalização trará ganhos mais fortes

Guedes: capitalização trará ganhos mais fortes

Adriano Machado/Reuters - 04.01.2019

A reforma do atual modelo de Previdência será acompanhada pela criação de um regime de capitalização, que trará ganhos mais fortes para o sistema, disse nesta terça-feira (8) o ministro da Economia, Paulo Guedes, após reunião com o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

"Está também lá [a capitalização]. Vai ser tudo junto, a palavra fatiada, nesse aspecto, não", disse Guedes a jornalistas, após reunião que durou duas horas.

Guedes diz que reforma da Previdência é o primeiro e maior desafio

Para Onyx, a reforma que será proposta pelo governo tem como objetivo afastar a necessidade de falar do tema por 20 anos. Ele ressaltou, no entanto, que ela será "humana" e com condições de ser aprovada no Congresso Nacional.

Guedes indicou que o governo está estudando uma proposta com regra de transição "da mesma profundidade" da que existia antes, que considerava um tempo de 20 anos para essa travessia.

Ele ressaltou, por outro lado, que a introdução de um regime de capitalização, ante o modelo de repartição hoje existente, trará ganhos mais fortes.

"A regra de transição nós estamos simulando. A proposta que existia antes era justamente uma que tinha uma regra de transição de 20 anos. Então o ministro quis dizer exatamente que nós estamos fazendo algo da mesma profundidade, embora eu ache que o sistema de capitalização como nós estamos desenhando é algo bastante mais robusto", afirmou Guedes.

Reforma da Previdência: o plano da equipe de Bolsonaro para dar o 'pontapé inicial'

Olhando para o curto prazo, o governo enviará uma medida provisória contra fraudes e privilégios na Previdência, com a qual espera economizar de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões por ano. O texto da MP será apresentado nesta quarta-feira (9) ao presidente Jair Bolsonaro, segundo Guedes.

Formato final

Os ministros apontaram que ainda há pontos a serem amarrados na PEC (Proposta de Emenda à Constituição) sobre as regras de acesso à aposentadoria.

O formato final da proposta só será conhecido após o término das simulações conduzidas pela equipe econômica e após a avaliação e decisão do presidente, reforçou Onyx.

Nosso erro foi não ter votado reforma Previdência, diz Marun

Ele também afirmou que não há decisão sobre aproveitar ou não a reforma do ex-presidente Michel Temer, que já foi aprovada em comissão especial na Câmara dos Deputados. De acordo com o ministro da Casa Civil, este é outro ponto que será definido por Bolsonaro.

"Pedimos paciência, nós vamos voltar a falar sobre esse tema na próxima semana, depois que nós apresentarmos para o presidente Jair Bolsonaro", disse Onyx.