Economia Rio Grande do Sul pode ter novo recorde de produção soja, rivaliza com Paraná

Rio Grande do Sul pode ter novo recorde de produção soja, rivaliza com Paraná

SÃO PAULO (Reuters) - O Rio Grande do Sul poderá colher uma safra recorde de quase 20 milhões de toneladas de soja em 2019/20, estimou nesta terça-feira a Emater, órgão ligado ao governo gaúcho, prevendo aumentos de cerca de 2% no plantio e de 4,3% na produtividade média, na comparação com a temporada passada.

A área plantada chegaria a 5,9 milhões de hectares de soja, com uma rendimento agrícola de 3,3 toneladas por hectare, informou a Emater ao apresentar em Esteio (RS), durante a 42ª Expointer, a primeira estimativa de área, produção e produtividade das principais culturas de verão no Estado.

"Consideramos os números bastante assertivos, porque temos uma amostra bastante forte para chegar à essa conclusão", disse o presidente da Emater, Geraldo Sandri, ressaltando que o levantamento envolveu 98% das áreas que plantam soja no Estado.

Caso a estimativa de produção de soja de 19,7 milhões de toneladas seja atingida, dependendo das condições climáticas para a safra que ainda será plantada, o Rio Grande do Sul disputaria com o Paraná o posto de segundo maior produtor de soja do país, atrás de Mato Grosso.

Sandri lembrou que a soja impulsionará o crescimento da produção de grãos de verão do Estado, prevista em 33,2 milhões de toneladas, considerando também milho, arroz e feijão, aumento de 5,76% ante 2018/19.

"É uma super safra chegando", destacou.

Na safra passada, o Rio Grande do Sul superou o Paraná na produção de soja, mas em meio a uma quebra pela seca nas lavouras paranaenses.

A produção do Paraná atingiria 19,772 milhões de toneladas em 2019/20, ante 16,2 milhões na temporada anterior, com a recuperação das produtividades. Embora a produção paranaense possa subir mais de 20%, a área plantada está estimada para crescer 1%, de acordo com o governo do Estado.

O Mato Grosso, por sua vez, tem a safra de soja estimada em um recorde de 32,83 milhões de toneladas em 2019/20, alta de 1% ante a temporada passada, quando algumas regiões tiveram problemas climáticos, segundo a mais recente estimativa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

None

(Por Roberto Samora)