Risco ligado à desaceleração global e a conflitos geopolíticos permanece, diz BC

A ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada nesta terça-feira, 5, trouxe a avaliação de que "os riscos associados a uma desaceleração da economia global e a conflitos de natureza geopolítica permanecem". Para o BC, "as incertezas no cenário externo implicam riscos para ativos cuja precificação dependa sobremaneira de um cenário com taxas de juros globais baixas e manutenção do ritmo de crescimento econômico recente".

A instituição pontuou, no entanto, que o cenário internacional segue "relativamente favorável" para as economias emergentes.

O BC registrou que os "bancos centrais de diversas economias, incluindo algumas centrais, têm provido estímulos monetários adicionais, o que contribui para o afrouxamento das condições financeiras globais".

Neste contexto internacional, o BC brasileiro voltou a destacar a capacidade da economia brasileira de absorver um revés, "devido ao seu balanço de pagamentos robusto, à ancoragem das expectativas de inflação e à perspectiva de continuidade das reformas estruturais e de recuperação econômica".