Economia Safra de café 2019 do Brasil deve ser recorde para anos de baixa produção, diz Conab

Safra de café 2019 do Brasil deve ser recorde para anos de baixa produção, diz Conab

Por José Roberto Gomes

SÃO PAULO (Reuters) - A safra de café do Brasil em 2019 deverá alcançar um recorde para anos de bienalidade negativa, com um volume entre 50,48 milhões e 54,48 milhões de sacas, projetou nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Em seu primeiro levantamento sobre o ciclo deste ano, a Conab destacou que a colheita tende a ser entre 18,1 e 11,6 por cento abaixo dos históricos 61,66 milhões de sacas de 2018, considerando-se o intervalo previsto, mas sensivelmente superior aos cerca de 45 milhões de 2017, até então o recorde para anos de baixa produção.

Mesmo o ponto médio do intervalo projetado, de 52,48 milhões de sacas, figura como segunda maior safra da história, perdendo apenas para a de 2018.

O café alterna ciclos de alta e baixa produção, e o deste ano é de bienalidade negativa, processo natural em que a planta se recupera do maior direcionamento de energia para a frutificação na safra passada, sobretudo na espécie arábica, lembrou a Conab.

"Nós tivemos um clima favorável. No início teve alguma crise climática, mas nada que tenha afetado. (A safra) vem andando de maneira muito boa", disse o diretor de Comercialização e Abastecimento do Ministério da Agricultura, Silvio Farnese, em coletiva em Brasília.

Variedade mais cultivada no país, o arábica deve registrar colheita de 36,11 milhões a 38,15 milhões de sacas em 2019, ante 47,48 milhões na temporada anterior.

Já em relação ao conilon (robusta), a Conab prevê uma produção potencialmente recorde de 14,36 milhões a 16,33 milhões de sacas neste ano, versus 14,17 milhões em 2018, "ajudado principalmente por situações climáticas favoráveis e por não sofrer tanto os impactos do ciclo bienal".

A área total ocupada com café neste ano (arábica e conilon) deve ser de 2,15 milhões de hectares, praticamente estável ante 2018, segundo a companhia. Dessa área, 316,41 mil hectares devem ser de cafezais em formação e 1,84 milhão, em produção.

None

(Por José Roberto Gomes, em São Paulo; reportagem adicional de Jake Spring, em Brasília)

    Access log