Minha Aposentadoria

Economia Saiba como investir a 1ª parcela antecipada do 13º salário do INSS

Saiba como investir a 1ª parcela antecipada do 13º salário do INSS

Dinheiro começará a ser creditado nesta terça-feira (25). Tesouro Direto, CDB e Letras de Crédito são boas opções para iniciantes

  • Economia | Angélica Sales, Do R7

Segundo o INSS, 31 milhões de segurados neceberão a primeira parcela do abono, o equivalente a R$ 25,3 bilhões

Segundo o INSS, 31 milhões de segurados neceberão a primeira parcela do abono, o equivalente a R$ 25,3 bilhões

Marcello Casal JrAgência Brasil - 13.10.2020

A primeira parcela antecipada do 13º salário do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), que corresponde a 50% do valor pago ao segurado no mês de maio de 2021, começa a ser paga aos aposentados e pensionistas nesta terça-feira (25). O cronograma de pagamentos vai até 8 de junho. Já a segunda parcela será paga entre 24 de junho e 7 de julho (veja o calendário completo no final do texto).

Normalmente, o crédito ocorre em agosto e novembro. No entanto, o governo decidiu antecipar o pagamento para combater os impactos da pandemia de covid-19 e estimular uma retomada mais rápida da economia. Segundo o INSS, 31 milhões de segurados neceberão a primeira parcela do abono, o equivalente a R$ 25,3 bilhões. Com isso, a a folha de pagamentos de maio injetará na economia R$ 76,3 bilhões.

Para quem ainda não sabe o que fazer ou como aplicar o dinheiro que vai entrar na conta, o R7 reuniu especialistas com a missão de dar orientações, de forma direta e descomplicada, sobre as melhores opções de investimentos para os segurados. É importante lembrar que, para o bom planejamento financeiro, a quantia a ser aplicada não faz diferença. O fundamental é dar o primeiro passo e seguir a rotina todos os meses.

“Atualmente, há uma série de aplicações com valores iniciais bastante baixos. Além disso, as plataformas de investimento facilitaram muito o acesso para os iniciantes”, explica Marina Braga, gerente de alocação do escritório de investimentos BlueTrade. “O Tesouro Direto, por exemplo, tem um aporte mínimo de R$ 30 e mesmo alguns fundos têm aplicações a partir de R$ 100. O importante é sempre poupar e investir esses valores.”

Marina também orienta o segurado a entender seu perfil de risco e buscar informações sobre o produto em que está investindo. “Um erro comum é escolher um produto que o investidor não conhece bem ou que não é adequado ao seu perfil. Nesses casos, o maior risco é resgatar no pior momento”, diz. Para evitar essa armadilha, a especialista sugere recorrer às plataformas digitais e a assessores de investimentos de sua confiança.

Leia mais: É possível começar a investir com R$ 100 por mês? Veja como fazer

Outra recomendação da gerente da BlueTrade é montar uma reserva de emergência. “É aconselhável sempre ter entre 6 e 12 meses das despesas mensais em um investimento líquido e com baixo risco, como o Tesouro Selic”, afirma. “Se eu tenho uma despesa mensal de R$ 1 mil, por exemplo, devo ter entre R$ 6 mil e R$ 12 mil para eventuais imprevistos.”

Contratempos na pandemia

Ahmed Sameer El Khatib, professor de contabilidade financeira, finanças e auditoria na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), concorda com Marina. "Seria importante usar parte da antecipação do 13º salário para criar um fundo de despesas emergenciais", diz. "Em tempos de pandemia, estamos sujeitos a inúmeros contratempos, como problemas de saúde,  manutenção da casa e outras necessidades financeiras que podem demandar uma despesa inesperada no orçamento doméstico."

Em relação aos investimentos, El Khatib reforça a necessidade de o segurado identificar produtos compatíveis com sua realidade. "Primeiro, é necessário saber se seu perfil é conservador, moderado ou arrojado, pois isso já filtra os tipos de aplicação mais viáveis", explica o professor. "Em seguida, é importante definir quando se pretende usar aquele dinheiro: em curto, médio ou longo prazo. Essa decisão também ajuda a direcionar o investimento."

Melhores alternativas

Entre as alternativas mais comuns e simples para iniciantes, estão os títulos do Tesouro Direto, CDB e Letras de Crédito. "Todos costumam conferir retornos interessantes e bom nível de segurança. Além disso, elas normalmente são mais indicadas para quem está interessado em investir ao menos parte do seu 13º salário", afirma El Khatib. Para diminuir riscos e aumentar as chances de ter um bom resultado, a diversificação dos investimentos também é recomendada.

Planejar e organizar a vida financeira é mais simples do que parece. Para quem quiser mais informações sobre investimentos, o professor da Fecap sugere consultar os sites do Banco Central do Brasil e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

Já Marina Braga, da BlueTrade, recomenda visitar as páginas eletrônicas da Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (Anbima), do Tesouro Direto e de corretoras idôneas, como a XP.

Reprodução/INSS

Últimas