Economia Salário médio dos trabalhadores brasileiros sobe e chega a R$ 1.681

Salário médio dos trabalhadores brasileiros sobe e chega a R$ 1.681

Em relação a 2012, o rendimento subiu 5,7%, já que naquele ano a média era de R$ 1.590

  • Economia | Do R7

Os 10% da população ocupada que tem os maiores rendimentos concentram 41,2% do total de rendimento de trabalho

Os 10% da população ocupada que tem os maiores rendimentos concentram 41,2% do total de rendimento de trabalho

Getty Images

O salário médio mensal do trabalhador brasileiro cresceu no ano passado em relação a 2012, de acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgada nesta quinta-feira (18) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2013, o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos foi estimado em R$ 1.681, valor 5,7% superior à média do rendimento apurado em 2012 (R$ 1.590).

De um ano para o outro, todas as grandes regiões do País apresentaram crescimento do rendimento médio mensal real de todos os trabalhos.

Os 10% da população ocupada que tem os maiores rendimentos concentram 41,2% do total de rendimento de trabalho. Em média, R$ 6.930, valor 6,4% maior do que em 2012.

Leia mais sobre Economia e ajuste suas contas

Miriam Belchior e Renan Calheiros anunciam novo valor para salário mínimo no Brasil. Confira no vídeo abaixo

Seja bombardead@ de boas notícias. R7 Torpedos

A região Sul foi a que teve maior crescimento (8,1%). O salário médio foi de R$ 1.731 para R$ 1.872. Em seguida está a região Nordeste, com alta de 5,7% (de R$ 1.086 para R$ 1.148), depois a região Sudeste (5,5%) — de R$ 1.804 para R$ 1.903 —, a região Norte (4,7%) — de R$ 1.263 para R$ 1.322. E por último, a região Centro-Oeste, que tem a maior média, mas teve a menor alta de um ano para o outro (4,5%). O rendimento foi de R$ 1.906 para R$ 1.992.

Estados

Os rendimentos de todos os trabalhos de 2012 para 2013 subiram na maioria das Unidades da Federação, com destaque para as variações percentuais de 12,8% no Amazonas (de R$ 1.290 para R$ 1.455); de 11,4% no Rio Grande do Sul (de R$ 1.647 para R$ 1.835); e de 10,3% na Bahia (de R$ 1.113 para R$ 1.228).

Houve redução do rendimento médio mensal real de todos os trabalhos no Acre (de R$ 1.342 para R$ 1.302), Amapá (de R$ 1.632 para R$ 1.616) e Espírito Santo (de R$ 1.77 para R$ 1.557).

As maiores médias do rendimento mensal real de todos os trabalhos no ano passado estavam no Distrito Federal (R$ 3.114) e em São Paulo (R$ 2.083), enquanto Ceará (R$ 1.019), Piauí (R$ 1.037) e Alagoas (R$ 1.052) registraram as menores médias.

Todas as fontes de renda

A pesquisa levantou ainda o rendimento médio mensal real de todas as fontes, como aposentadorias, pensões, bolsas de estudo e programas sociais, das pessoas de 15 anos ou mais de idade com rendimento. Nesse caso, o rendimento foi de R$ 1.594, em média. Esse valor é 5,1% maior do que o valor estimado em 2012 (R$ 1.516) e 5,2% menor do que o rendimento de ocupados (R$ 1.681).

Por domicílio

No ano passado, dos 65,2 milhões de domicílios estimados, 60,8 milhões de domicílios declararam possuir rendimentos, em média, de R$ 2.983, 4% a mais do que o valor apurado em 2012 (de R$ 2.867). As menores médias do rendimento mensal real domiciliar foram encontradas nas regiões Norte (R$ 2.285) e Nordeste (R$ 2.011).

As regiões Sudeste (R$ 3.443), Sul (R$ 3.445) e Centro-Oeste (R$ 3.525) registraram rendimentos médios reais domiciliares acima da média nacional. A menor taxa de crescimento do rendimento domiciliar nos anos de 2012 e 2013 foi na média da região Norte (1,7%), e a maior, na região Sul (6,7%).

Quer fazer compras online? Use o R7 Ofertas

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia

Últimas