China

Economia Temores com lockdown provocam maior queda das ações chinesas em dois anos

Temores com lockdown provocam maior queda das ações chinesas em dois anos

Índice que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen caiu 4,94%, enquanto o índice de Xangai desabou 5,13%

Reuters
Bolsas chinesas sofrem com restrições para conter a Covid-19

Bolsas chinesas sofrem com restrições para conter a Covid-19

Aly Song/Reuters/File Photo

O mercado acionário da China registrou nesta segunda-feira (25) a maior queda desde fevereiro de 2020, quando a pandemia provocou fortes vendas, devido às preocupações com o surto de Covid-19 no país e temores pelas restrições adotadas na capital, Pequim.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 4,94% no dia, enquanto o índice de Xangai teve queda de 5,13%. Ambos os índices apagaram os ganhos desde a promessa feita em 16 de março pelo vice-premiê Liu He de sustentar a economia e os mercados financeiros.

As ações de Hong Kong tiveram a maior perda em seis semanas. O índice Hang Seng index caiu 3,73%, enquanto o China Enterprises Index perdeu 4,1%.

O iuan também caiu para mínima de um ano contra o dólar, ampliando as perdas depois de registrar a pior semana desde 2015. A piora do cenário de crescimento econômico provocou preocupações entre investidores de que a moeda pode enfraquecer ainda mais.

• Em Hong Kong, o índice HANG SENG caiu 3,73%, a 19.869 pontos.

• Em Xangai, o índice SSEC perdeu 5,13%, a 2.928 pontos.

• O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, retrocedeu 4,94%, a 3.814 pontos.

• Em Seul, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,76%, a 2.657 pontos.

• Em Taiwan, o índice TAIEX registrou baixa de 2,37%, a 16.620 pontos.

• Em Singapura, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,64%, a 3.339 pontos.

• Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 permaneceu fechado.

Últimas