Economia Temporada de cruzeiros estende suspensão até 4 de março

Temporada de cruzeiros estende suspensão até 4 de março

Segundo associação, o objetivo é analisar a evolução da pandemia e discutir as necessidades para a retomada das operações

  • Economia | Do R7

O navio de cruzeiros Costa Fascinosa, que teve casos de Covid-19

O navio de cruzeiros Costa Fascinosa, que teve casos de Covid-19

Fernando Frazão/Agência Brasil - 06.01.2022

A Clia Brasil (Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros) anunciou nesta terça-feira (15) a decisão de prorrogar a suspensão das operações dos navios de turismo nos portos do Brasil até 4 de março de 2022. A decisão, segundo a associação, é para dar continuidade a discussões com as autoridades nacionais, estaduais e municipais para a retomada dos cruzeiros no país.

Os cruzeiros estão suspensos desde 3 de janeiro, e o prazo acabaria em 18 de fevereiro. Para a volta das operações, segundo a portaria do governo federal publicada em 20 de janeiro de 2022, é necessário que todos os estados e municípios que recebem as embarcações estejam de acordo com o retorno das viagens, para atender às exigências dos rigorosos protocolos de segurança estabelecidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Após o aumento no número de casos de Covid-19 registrados em embarcações que realizam viagens pela costa brasileira nesta temporada de verão, a Anvisa recomendou a suspensão definitiva da temporada de navios de cruzeiro no Brasil, como ação necessária à proteção da saúde da população.

Segundo a Clia, os cruzeiros exigem, antes do embarque de passageiros e tripulantes, níveis extremamente altos de vacinação e 100% de testes de cada indivíduo. No Brasil, os protocolos exigem que todos os hóspedes estejam com o ciclo vacinal completo, apresentem testes negativos antes do embarque, testagem contínua a bordo, uso de máscara, distanciamento social e menor ocupação dos navios, entre outros protocolos.

"De um total de aproximadamente 130 mil passageiros transportados, entre 5 de novembro e 3 de janeiro de 2021, cerca de 1.100 casos foram confirmados, o que representa menos de 1% do total das pessoas atendidas (incluindo hóspedes e tripulantes). No mundo, mais de 6 milhões de pessoas navegaram em quase 90 países desde que os cruzeiros retomaram suas operações com sucesso", afirma a associação em nota. 

Últimas