Economia Transações bancárias feitas pelo celular crescem 24%, diz Febraban

Transações bancárias feitas pelo celular crescem 24%, diz Febraban

Levantamento revela que tendência é que uso do digital cresça cada vez mais na relação dos consumidores com os canais de atendimento bancários

Transações bancárias feitas pelo celular cresce 24% em 2018

Aplicativos tornaram-se o canal preferido dos clientes

Aplicativos tornaram-se o canal preferido dos clientes

Pixabay

O número de transações bancárias feitas pelo celular em 2018 cresceu 24% em relação ao ano anterior. Os aplicativos de bancos tornaram-se o canal preferido dos brasileiros para fazer pagamento de contas, transferências de dinheiro e outras transações financeiras. O aumento na quantidade de movimentações feitas pelo mobile chegou a quase 80% no ano passado.

Leita também: Dólar sobe a R$ 3,96 depois de superar R$ 4 durante o dia

Hoje, de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, 6 são feitas por meios digitais — celular ou computador.

Os dados, levantados por uma pesquisa feita pela Febraban e divulgados nesta terça-feira (7), revelam que a tendência é que o uso do digital cresça cada vez mais na relação dos consumidores com os canais de atendimento bancários.

Em 2018, 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, incluindo DOC (Documento de Ordem de Crédito) e TED (Transferência Eletrônica Disponível), foram realizados por meio de aplicativos mobile, que, pela primeira vez, superou o acesso pela internet na preferência do brasileiro nessas operações.

Praticidade e segurança

Essa mudança é reflexo da praticidade de uso e da conveniência que oferece o canal, responsável por 40% do total de movimentações bancárias efetuadas no ano passado – levando em conta as operações feitas em agências, via internet, autoatendimento, pontos de venda no comércio, correspondentes no país e pelo telefone. Em 2014, apenas 10% das transações eram feitas através do mobile banking.

Gustavo Fosse, diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da Febraban, explica. “A facilidade em poder resolver questões financeiras apenas utilizando o celular é um ponto-chave desse crescimento”, afirma. Ele acrescenta que o aumento de transações com movimentação financeira por mobile banking mostra que o cliente se sente cada vez mais seguro para movimentar seu dinheiro por esse canal.

Outro fator fundamental que ajuda a explicar o avanço de 80% na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular é o crescimento no número de contas pagas por esse canal, que, em 2018, chegou a 1,6 bilhão. Já o aumento na quantidade de DOCs, TED e outras operações foi de 119%, somando 862 milhões.

O brasileiro também contratou mais crédito pelo celular. Em 2018, foram 359 milhões, o que representa um aumento de 60% em relação ao ano anterior.

Transição democrática

Fosse explica que o momento de transição também é democrático e não se aplica somente a classes mais favorecidas e a jovens, por exemplo. “O mobile dialoga com quase que todas as classes. É uma alternativa que está bem dissipada e que não se restringe a grupos específicos e a pesquisa mostra isso”, afirma.

“Tem pessoas de todas as idades usando as plataformas virtuais de bancos, não só jovens ou pessoas de gerações X ou Y. Tem desde idosos de 90 anos até jovens de 20 usando”, encerra.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas