Transportes e serviços a famílias serão os mais atingidos, diz IBGE

'Hotéis e restaurantes estão com funcionamento reduzido, e isso vai impactar a receita', afirmou responsável pela pesquisa

Baixa procura por serviços afetará a receita do setor

Baixa procura por serviços afetará a receita do setor

Reprodução/Record TV

Atividades que pesam 40% na Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), transportes e serviços a famílias deverão ser diretamente atingidas pela crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus. A avaliação é do gerente da PMS, Rodrigo Lobo, que estima que o impacto negativo deverá aparecer na leitura de março da PMS.

Leia mais: PIB do Brasil deve cair 1,6%, diz agência de classificação de risco

"A maior dificuldade está no setor de transportes, única atividade (da PMS) que fechou no negativo em 2019, por causa do menor dinamismo na economia, especialmente no setor industrial", afirmou Lobo.

Segundo o pesquisador, a atividade de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio pesa em torno de 30% na PMS. Outra atividade que será diretamente atingida pelas medidas de restrição no contato social são os serviços prestados às famílias, que pesam 9,5% na PMS, afirmou Lobo.

"Hotéis e restaurantes estão com funcionamento reduzido, e isso vai impactar a receita", afirmou Lobo.

Os efeitos negativos por causa da pandemia atingirão os serviços de transporte após a atividade ter começado bem o ano. Em janeiro, o setor avançou 2,8% ante dezembro de 2019, puxando a alta de 0,6% no volume de serviços prestados no período.

Segundo Lobo, o comportamento do setor de transportes, ao longo de 2019 e no início deste ano, está atrelado à dinâmica da indústria. Assim, a alta de 2,8% em janeiro ante dezembro de 2019 respondeu ao avanço na produção industrial no início do ano.