Um terço das famílias das classes A e B pediu auxílio emergencial

Pesquisa sobre o impacto da pandemia nas famílias de classes sociais mais ricas mostra que 69% das que pediram conseguiram o benefício

O auxílio emergencial foi criado para a população de baixa renda

O auxílio emergencial foi criado para a população de baixa renda

JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Um terço das famílias das classses A e B pediu auxílio emergencial de R$ 600 e 69% delas conseguiram o benefício. A informação faz parte da pesquisa Impacto da Pandemia nas Famílias de Classes A e B, do Instituto Locomotiva. 

Leia também: Bolsonaro fala em liberar mais parcelas do auxílio emergencial

De acordo com o instituto, as classes A e B representam cerca de 25% da população brasileira e iniciam com renda por pessoa da família superior R$1.780,00 por mês.

O auxílio emergencial de três parcelas de R$ 600 foi criado para população de baixa renda e trabalhadores informais enfrentarem a crise provocada pela pandemia de coronavírus.

Leia mais: Cerca de 11 mi estão em análise para receber auxílio de R$ 600

O levantamento mostra também como essa classe tem enfrentado a crise provocada pelo coronavírus. Entre os entrevistados, 55% disseram que houve diminuição na renda da família e 20% deixaram de pagar alguma conta. Tiveram que manter um negócio próprio sem funcionar 36% e 18% afirmaram que alguém da família perdeu o emprego.

Com relação ao dinheiro, 8% fizeram empréstimos, 2% chegaram a ter falta de dinheiro para compra de alimentos e 3% para item de higiene.

A pesquisa quantitativa foi realizada por telefone, com 2.006 entrevistados em 72 cidades de todos os estados, de 20 a 25 de maio.