Economia Valor a ser pago de IPVA em SP varia de R$ 11,68 a R$ 288 mil

Valor a ser pago de IPVA em SP varia de R$ 11,68 a R$ 288 mil

Diferença no valor do imposto equivale aos preços da motocicleta Hero Puch 50 e do automóvel McLaren Senna Coupê

IPVA 2020

McLaren Senna Coupê está avaliada em R$ 7,2 milhões

McLaren Senna Coupê está avaliada em R$ 7,2 milhões

Divulgação/McLaren

Os motoristas já começam a se planejar para pagar o IPVA 2020 (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). No Estado de São Paulo, o valor do tributo será menor do que o pago no ano passado e varia de R$ 11,68 a R$ 288 mil.

O maior valor do imposto terá que ser desembolsado pelos dois donos da uma McLaren Senna Coupê residentes no Estado. Fabricado em 2019 em homenagem ao tricampeão de Fórmula 1 Ayrton Senna, o veículo é similar a um dos presentes na coleção do craque Cristiano Ronaldo e custa nada menos do que R$ 7,2 milhões.

Leia mais: IPVA com desconto começa a vencer em 9 de janeiro

Ainda no campo dos automóveis, a conta com o menor valor a ser pago será recebida pelo proprietário de um veículo de fabricação própria. Avaliado em R$ 1.510, o carro datado de 2004 deve R$ 60,40 de IPVA.

Entre os utilitários, o IPVA mais caro será pago pelo único proprietário do Rolls Royce Cullinan, fabricado em 2018. O carrão custa quase R$ 3 milhões e tem imposto no valor de R$ 119 mil.

Rolls Royce Cullinan tem IPVA mais caro entre os utilitários

Rolls Royce Cullinan tem IPVA mais caro entre os utilitários

Divulgação/Rolls Royce

Motos

Na contramão da McLaren em homenagem ao piloto brasileiro, o menor valor de IPVA de São Paulo a ser pago é de R$ 11,68, devidos pelos 22 proprietários da motocicleta Hero Puch 50, fabricadas em 2000 e com preço estimado em R$ 584.

A outra ponta dos veículos de duas rodas é ocupada pelo único dono de uma Ducati 1299 Superlegge, que saiu da fábrica em 2017. Avaliada em R$ 7,4 milhão pela tabela da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), a motocicleta tem IPVA ao custo de R$ 374 mil.

Ônibus e caminhão

Quando o assunto são os ônibus e caminhões, o IPVA mais caro, de R$ 13.449, deverá ser pago pelos cinco proprietários dos Marcopolo Paradiso, de 2019, cujo preço estimado é de R$ 672 mil. 

Scania 580 figura como o caminhão com o IPVA mais caro

Scania 580 figura como o caminhão com o IPVA mais caro

Herranderssvensson/Wikimedia Commons

Entre os caminhões, o modelo Scania R580, com valor de mercado na casa dos R$ 593 mil, é responsável pelo valor mais alto de imposto a ser recolhido: R$ 8.904. 

Por outro lado, os 155 donos das kombis escolares e os sete proprietários do caminhão GMC Rontan não perderão o sono para arcar com o pagamento do imposto. Fabricados em 2000, os dois modelos têm débitos de, respectivamente, R$ 197,74 e R$ 121,70.

Arrecadação

De acordo com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, a previsão para o ano que vem é arrecadar R$ 16,9 bilhões com o pagamento de IPVA dos 17,5 milhões de veículos sujeitos ao recolhimento do imposto.

Metade do valor é repartido com os municípios de registro dos veículos, que devem corresponder ao local de domicílio ou residência dos respectivos proprietários, e os outros 50% para o Estado.

Leia mais: IPVA para helicópteros, barcos e jatos renderia R$ 4,6 bi

Para o ano que vem, as alíquotas do imposto seguem inalteradas. As picapes cabine dupla e os donos de veículos movidos à gasolina, bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal.

Carros movidos exclusivamente a álcool, eletricidade ou gás têm alíquota de 3%. Já os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.