Vendas semanais de carne suína dos EUA à China têm resultado mais fraco da história

CHICAGO (Reuters) - As vendas de exportação de carne suína dos EUA para a China atingiram o menor nível já registrado na semana encerrada em 5 de março, mesmo após melhoria no acesso aos portos no principal consumidor mundial de carne suína, informou nesta quinta-feira o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA).

O relatório semanal do USDA mostrou que os cancelamentos de compradores chineses reduziram as vendas totais de exportação para a China a um volume negativo de 45.222 toneladas, o pior resultado desde o início dos registros, em 2013, apagando o recorde anterior de 17.614 toneladas de vendas negativas de exportação na semana encerrada em 2 de janeiro.

    Os embarques de carne de porco para a China totalizaram 139.719 toneladas, refletindo as vendas anteriores de exportação.

Os principais portos de contêineres da China estão diminuindo o estoque de cargas em suas docas, à medida que os trabalhadores retornam aos seus empregos depois que as restrições de viagens por coronavírus foram atenuadas.

    As vendas líquidas de soja para a China, normalmente o principal destino da oleaginosa dos EUA, foram negativas em 90.281 toneladas, o menor nível desde a semana encerrada em 5 de agosto de 2019, quando o USDA informou que cancelamentos levaram as vendas de soja para a China a 422.658 toneladas negativas.

Os traders têm observado de perto as exportações para a China desde que Pequim e Washington assinaram um pacto comercial da Fase 1 em meados de janeiro.

(Por Mark Weinraub)