Vice-presidente do Fed enfraquece tese de estratégia de controle da curva de juro

O vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Richard Clarida, enfraqueceu nesta segunda-feira, 31, a tese de que a autoridade monetária pode vir a adotar, em breve, uma estratégia de controle da curva de juros. "Os benefícios potenciais de tal abordagem podem ser modestos. Ao mesmo tempo, a abordagem traz complicações em termos de implementação e comunicação", avaliou, em webinar do Peterson Institute for International Economics. A adoção de juros negativos também foi descartada neste momento.

Clarida aproveitou o evento virtual para defender medidas tomadas recentemente pelo BC dos Estados Unidos para combater a crise do novo coronavírus, como a revisão de estratégia de política monetária, anunciada na última quinta-feira pelo presidente do Fed, Jerome Powell. "Revisão de política monetária é evolução crítica e robusta de nossa estrutura", disse. "Acreditamos que forward guidance as compras de ativos em grande escala foram e continuam a ser fontes eficazes de apoio à economia", completou.

Ao comentar a revisão de estratégia do Fed, que agora permitirá à inflação avançar para além da meta de 2% como forma de compensar o tempo em que rodou abaixo disso, Richard Clarida destacou que elevar a taxa de juros sem inflação é algo difícil de justificar.

O vice-presidente ainda reforçou mensagens de Powell de que a revisão de estratégia foi necessária para dialogar com a conjuntura atual, mas que não se trata de uma amarra para o Fed. "O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês está preparado para usar todas as ferramentas para alcançar seus objetivos", disse Clarida.