Economia Você curte pechinchar? Veja como se dar bem com cupons de desconto para compras pela internet

Você curte pechinchar? Veja como se dar bem com cupons de desconto para compras pela internet

Modalidade cresce no Brasil e ajuda a conseguir preços mais em conta e até frete grátis

Você curte pechinchar? Veja como se dar bem com cupons de desconto para compras pela internet

Marcovan Oliveira Ferreira é adepto dos cupons de desconto há um ano e meio

Marcovan Oliveira Ferreira é adepto dos cupons de desconto há um ano e meio

Arquivo Pessoal

Fazer compras pela internet sem usar cupons de desconto, num futuro muito breve, será coisa do passado. As lojas virtuais, geralmente, conseguem fazer preços mais em conta que as lojas físicas — uma vez que não têm vendedores como intermediários — e contam agora também com atrativos de venda como os cupons.

Entre as vantagens dessa modalidade estão os descontos em porcentagem e dinheiro (em alguns produtos ou em toda a loja) e frete grátis. Agora, o melhor de tudo isso: os descontos são agrupados em sites específicos e são gratuitos. 

Apesar de o uso estar em expansão, ainda não virou um hábito do brasileiro usar cupons na hora de adquirir produtos pela internet.

Leia mais notícias de Economia

R7 Play: Assista à Record onde e quando quiser

Roberto Rubim, CEO da 1001 Cupom de Descontos, que está há quatro meses no mercado, explica que a tradição do uso de cupons vem dos Estados Unidos, onde há mais de cem anos é possível fazer compras mais baratas com a aplicação dos descontos.

— Um em cada três americanos usa cupom. O brasileiro acredita que um bom negócio acaba no parcelamento, mas não é verdade. Hoje dá para parcelar, ter desconto e ainda não pagar o frete, que é a menina dos olhos, junto com os descontos oferecidos para todos os produtos da loja.

Tem emprego sempre! Conheça dez profissões à prova da crise econômica

O técnico de rede Marcovan Oliveira Ferreira, de 31 anos, descobriu as páginas de cupons há um ano e meio durante a pesquisa de preços de um produto. Ferreira conta que ficou surpreso quando conseguiu descontos que deixavam os produtos com valor mais em conta do que os anunciados em sites de comparação de preços.

— Meu celular custava R$ 2.200. No site, consegui uma promoção com pagamento à vista que fez o preço cair para R$ 1.500. Vale muito a pena pesquisar nesses sites antes de fazer uma compra pela internet.

Fique de olho no seu plano de saúde e descubra se você vai se dar mal

Como usar

O uso é simples e fácil. Basta entrar no site de desconto que deseja, digitar o nome da loja na qual pretende comprar e analisar os cupons oferecidos para determinar qual é a melhor opção para a compra que quer fazer. Em alguns descontos, o consumidor é levado para a página da loja, onde, geralmente, estão os produtos selecionados para aquela promoção.

Em outros momentos é disponibilizado um código promocional, que deverá ser inserido antes do fechamento da compra, quando o produto já está no carrinho. E, mesmo com a indicação de expiração do cupom, os próprios sites recomendam tentar o uso. Vai que...

E o acúmulo de descontos, muitas vezes, é possível. É o caso das lojas que oferecem cupons com desconto em porcentagem e em dinheiro. Um site de venda de flores, por exemplo, oferecia 15% de desconto na seleção de alguns produtos e também dava desconto de R$ 20 em toda a loja. Com os cupons, a economia foi certa. As flores que custavam R$ 200 saíram por R$ 150, mais o frete, com os descontos. 

E não há distinção de produtos. A maioria das grandes lojas como Walmart, Americanas, Submarino, Extra, Netshoes, Ricardo Eletro e Saraiva está nessa empreitada atrás de clientes. Lojas virtuais internacionais que entregam no Brasil também oferecem cupons de descontos, entre elas, a Ali Express e a Amazon. A oferta de serviços é outra linha de comércio que entrou na onda do desconto. Aplicativos de transporte individual de passageiros, como 99 Táxi e Uber oferecem vantagens pelos sites de cupom, além de agências de viagem e companhias aéreas.

Para Antônio Miranda, CEO do site Cuponomia, os cupons vêm para democratizar o ato de pechinchar que, muitas vezes, o brasileiro deixa de lado.

— Dificilmente você vai chegar em uma loja pedindo desconto de 10% ou 15% e será atendido. Negociamos com as empresas em nome de milhares de usuários. Isso me dá um poder de barganha muito maior. 

Miranda conta que hoje só não usa cupom de desconto quem não conhece o serviço oferecido pelos sites, que se tornou uma forma de encurtar o caminho e o tempo até as vantagens.

— Nosso crescimento é de mais de 100% ao ano, enquanto as lojas virtuais crescem cerca de 30% no mesmo período. O boca a boca e a boa experiência de compra traz o conhecimento da ferramenta, o que impulsiona esse crescimento. O consumidor é livre para entrar, pegar o desconto e sair do site, sem cadastros, sem custo e sem desconforto.

Perfil do internauta

Muitos sites não conseguem perfilar seus usuários justamente por evitar que os internautas façam cadastro. Mas o site MeuCupom.com conseguiu levantar uma base de dados e explicar o perfil dos usuários que acessam o site atrás de bons descontos.

De acordo com a pesquisa, os internautas mais ativos, que representam 7,53% da base, são os consumidores de tecnologia, seguidos pelos internautas que buscam mobilidade, que somam 6,32%. Em terceiro lugar vêm os cinéfilos, que representam 6,08% das compras. O perfil de acessos mostra que 30% dos usuários usam o celular para buscar descontos.

Vitor Clemon, CEO do MeuCupom.com, afirma que esses dados mostram a tendência de crescimento do uso de cupons no Brasil.

— Se os maiores consumidores do varejo online não estão usando esse recurso é porque não sabem ao certo como fazê-lo.

    Access log