Enem 2021

Educação Bolsonaro diz que ainda teve questão de ideologia no Enem

Bolsonaro diz que ainda teve questão de ideologia no Enem

Presidente negou interferência na prova que foi realizada neste último domingo (21) em todo o país

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Presidente Jair Bolsonaro fala aos apoiadores sobre o Enem

Presidente Jair Bolsonaro fala aos apoiadores sobre o Enem

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (22) que não houve interferência no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), mas que "ainda teve questão de ideologia na prova". Na última semana, ele declarou que o exame "teria a cara do governo".

Na primeira prova, realizada no último domingo (21), os participantes responderam a perguntas de linguagens, ciências humanas e literatura e produziram uma redação. Entre os assuntos das questões foram abordados meio ambiente, população indígena e temas sociais. Também foram selecionados um trecho da canção Admirável Gado Novo, de Zé Ramalho, e uma charge do cartunista Henfil.

Em sua conversa com os apoiadores na saída do Alvorada, Bolsonaro também afirmou que, se ele e o ministro Milton Ribeiro pudessem interferir, "nenhuma questão destas cairia na prova". 

O presidente contou que a prova passa por mudanças. "Você é obrigado a aproveitar banco de dados de anos anteriores, você é obrigado a aproveitar isso aí. Agora, dá para mudar? Já está mudando. Vocês não viram mais a linguagem de tal tipo de gente, com tal perfil. Não existe isso aí", disse.

A declaração de Bolsonaro reforçou o que o ministro da Educação, Milton Ribeiro, havia dito na noite de domingo, após o encerramento do exame. Ribeiro negou interferência do governo no conteúdo da prova e declarou que "talvez, se tivesse interferência, pode ser até, hipoteticamente, que algumas perguntas nem estivessem ali. Não houve nenhuma interferência em escolha de perguntas".

A edição do Enem deste ano foi marcada por polêmicas que começaram com a saída de 37 funcionários do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e acusações de interferência ideológica do governo nas provas. 

O exame foi realizado no último domingo (21) com 90 questões de linguagens, ciências humanas e literatura, além da redação. No próximo domingo (28), os participantes responderão a 90 perguntas de matemática e ciências da natureza (física, química e biologia).

Últimas