Coronavírus

Educação Comissão da Câmara de SP considera Educação essencial

Comissão da Câmara de SP considera Educação essencial

Texto da vereadora Janaína Lima (Novo) garante aulas presenciais mesmo em pandemia; PL segue tramitação na casa

Projeto de lei pretende tornar Educação como serviço essencial mesmo na pandemia

Projeto de lei pretende tornar Educação como serviço essencial mesmo na pandemia

Christiano Antonucci/Secom-MT

A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Legislação) da Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta sexta-feira (7) o projeto de lei da vereadora Janaína Lima (Novo) que considera a Educação um serviço essencial. O PL segue agora o processo de tramitação pelas demais comissões antes de ser votado.

Na proposta apresentada à Câmara Municipal de São Paulo são considerados serviços essenciais prestados pelas escolas, ainda que em situação de emergência ou calamidade pública, incluindo pandemias como a da covid19

De acordo com o texto, se aprovado, as escolas não deverão fechar neste período e as aulas deverão ser realizadas presencialmente nas escolas públicas e privadas localizadas na capital paulista da educação infantil, ensino fundamental, nível médio, educação de jovens e adultos, ensino técnico, ensino superior e afins.

O projeto de lei segue tramitação na Câmara.

Últimas