Educação Docentes da USP, Unicamp e Unesp fazem manifestação na Cidade Universitária nesta terça-feira 

Docentes da USP, Unicamp e Unesp fazem manifestação na Cidade Universitária nesta terça-feira 

Na data, o Conselho Universitário da USP reunirá os seus membros para discutir a greve

Docentes da USP, Unicamp e Unesp fazem manifestação na Cidade Universitária nesta terça-feira 

Docentes, funcionários e estudantes da USP (Universidade de São Paulo), Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e Unesp (Universidade Estadual Paulista) irão realizar um ato nesta terça-feira (10), a partir das 12h, em frente ao Conselho Universitário da USP (órgão de decisão máxima da instituição), na Cidade Universitária, região oeste de São Paulo.

— Uma vez que já é de conhecimento público que o Zago [reitor da USP] é quem está atravancando as negociações, USP, Unesp e Unicamp farão um grande ato para deixar bem claro que não aceitamos arrocho salarial, diz nota do Sintusp (Sindicato dos Funcionários da USP).

Sob pressão, reitores das estaduais reabrem negociação

Os grevistas exigem discussão sobre o índice zero de reajuste salarial nas três universidades públicas paulistas aprovado pelo Cruesp (Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas)no último mês, fim do corte de verbas da ordem de 30% no orçamento das unidades da USP e a reabertura das negociações.

Também nesta terça-feira, o Conselho Universitário da USP (Universidade de São Paulo) reunirá os seus membros para discutir a greve iniciada no dia 27 de maio.

Na última sexta-feira (6), o Cruesp divulgou que irá reabrir as negociações com os grevistas.

USP tem queda de 21% no orçamento e anuncia crise financeira

Porém, em nota, adverte que o diálogo só será mantido caso não “haja obstruções e invasões (ocupações) em qualquer dependência das três universidades, que impeçam o acesso de servidores (docentes e técnico-administrativos) e dos alunos às suas atividades normais.”

A data da nova reunião de negociação entre o Cruesp, docentes e funcionários não foi divulgada.

Histórico                 

As universidades estaduais paulistas estão em greve desde o último dia 27, após o anúncio do Cruesp de que não haverá reajuste salarial nas três instituições.

O congelamento é resultado de uma crise financeira nas universidades anunciada em meados do mês de maio.

Atualmente, os índices de comprometimento do orçamento com folha de pagamento das três universidades são da ordem de 105%, 96,3% e de 94,4%, respectivamente.

No dia 29 de maio, a Unesp decidiu suspender 390 contratações de docentes e funcionários previstas para este ano. A normalização da situação só se dará em 2015.

Segundo informe da reitoria da USP encaminhado à comunidade acadêmica na noite do dia 28 de maio, para pagar os salários dos servidores docentes e não docentes e honrar contratos a universidade tem gastado, por mês, R$ 90 milhões acima do que recebe do governo de São Paulo.