Educação Dom Pedro I estava montado em cavalo quando declarou a Independência? Falso

Dom Pedro I estava montado em cavalo quando declarou a Independência? Falso

Famoso quadro 'Independência ou Morte', do pintor Pedro Américo, não retrata fielmente os fatos históricos

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Quadro 'Independência ou Morte', de Pedro Américo, traz uma visão romantizada da data

Quadro 'Independência ou Morte', de Pedro Américo, traz uma visão romantizada da data

Reprodução/Rovena Rosa/Agência Brasil - 07.09.2021

O famoso quadro Independência ou Morte, assinado pelo pintor Pedro Américo, traz a seguinte cena: dom Pedro I vestindo uma roupa luxuosa, montado em um cavalo, com uma espada embainhada quando declarou a Independência do Brasil de Portugal.

A obra, exposta no museu do Ipiranga, foi uma encomenda, como explica o professor de história do colégio Rio Branco e coordenador do portal do Bicentenário, Pedro Castellan: "Feita em 1888 pelo filho do monarca para exaltar a figura paterna, mas não há evidência histórica de que aquela cena ocorreu".

"É uma construção de uma memória romântica, um herói que dá um grito libertador capaz de mover a história", explica o professor de história da Oficina do Estudante, Marcus Vinicius Morais. "O quadro ficou tão conhecido que se tornou a própria memória da Independência no imaginário popular. As pessoas se lembram mais da cena representada no quadro do que dos acontecimentos."

O processo da Independência não se encerrou no dia 7 de Setembro nem há registros de que houve um grito como o descrito pela história oficial. Como escreve a historiadora brasileira Lilia Schwarcz sobre a cena retratada no quadro de Pedro Américo: "Tudo nela é criação: a colina, as tropas, o gesto altivo de dom Pedro I. De real, apenas o riacho do Ipiranga, onde, segundo os documentos, o protagonista precisava 'apear-se', uma vez que não estava com as funções intestinais normais. Outro aspecto correto é a ausência de povo. Para dar um jeito, Américo colocou do lado esquerdo um 'caipira' que observava a cena. Se nas demais independências latino-americanas o povo tomou parte, no nosso caso, as elites pretendiam deixá-lo bem longe e evitar comoções".

Nas redes sociais, o Museu do Ipiranga justificou a liberdade artística de Pedro Américo: "O quadro Independência ou Morte, encomendado ao artista Pedro Américo e finalizado 66 anos após a Proclamação da Independência, é uma representação simbólica da cena, uma contribuição para a construção da nossa identidade nacional por meio da arte. Nem todos os elementos que o artista traz à tela, como a indumentária luxuosa, estavam presentes no momento em que dom Pedro I proclamou a separação entre Brasil e Portugal. Ainda que o artista tenha realizado minuciosas pesquisas para sua composição, ele nunca pretendeu reconstituir o que ocorreu. Na pintura, Américo mostra o que teria sido uma cena prosaica, segundo as testemunhas, a partir de uma perspectiva épica, inspirando-se em tradicionais pinturas de batalha europeias, que enfatizavam o lugar do herói".

Últimas