Enem Digital pode ser feito em casa? Entenda como será a prova

Estudantes devem fazer a opção entre as versões escrita e on-line até dia 22. Candidatos devem ficar atentos às datas de Fuvest e Unicamp

Prova manterá o formato da versão impressa

Prova manterá o formato da versão impressa

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio) oferece neste ano uma versão digital das provas.  Entenda como vai funcionar antes de fazer a inscrição para o exame — o prazo vai até o dia 22 de maio. 

A implantação do novo modelo é conduzida de forma progressiva pelo MEC (Ministério da Educação), que limitou o número de participantes a 100 mil pessoas neste primeiro ano.

O Enem também será realizado no formato tradicional, mas em outra data e com as questões e o tema da redação diferentes.

O MEC não forneceu detalhes da prova, mas assim como no modelo tradicional, os candidatos que optarem pelo versão digital deverão se deslocar até os locais de prova. Ali acessarão o sistema de avaliação nos computadores, que terão o acesso à internet bloqueado. A redação ainda será feita e entregue em papel.

Confira: Instituição oferece cursos gratuitos a distancia para professores

Para Daniel Perry, diretor do Anglo Vestibulares, essa novidade mudará as formas de estudar e avaliar daqui para frente. “A transformação veio pra ficar. Os alunos terão que praticar provas on-line constantemente”, afirma.

Arte R7

Apesar de o MEC afirmar que não haverá alteração no calendário, os estudantes estão inseguros quanto à realização das provas. Devido à pandemia do novo coronavírus, uma determinação da justiça exigiu uma alteração na data original das provas digitais, que foram adiadas para 22 e 29 de novembro, datas que coincidem com os vestibulares da Unicamp e da USP.

Entidades estudantis entraram na Justiça pedindo o adiamento do calendário justamente por conta da pandemia de coronavírus. Deputados também pressionam o MEC para alterar a data das provas.

Outro ponto que também preocupa professores e estudantes está relacionado à aplicação das provas digitais. "Acredito que a falta de confiança pode prejudicar o sucesso da prova", diz Marcelo Fonseca, coordenador geral do Grupo Etapa. Para ele, "a preocupação principal na aplicação deveria ser a transparência em todas as etapas, colocando a qualidade da prova acima do formato."

Mesmo diante das incertezas, de acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação do Enem, no primeiro dia de inscrições foram preenchidas 95% das vagas para as provas na versão digital.

*Estagiário sob supervisão de Karla Dunder