Enem: Saiba o que comer antes e durante as provas

Não há itens proibidos, segundo o Inep, realizador do Exame, mas há opções mais saudáveis e práticas do que apenas água e chocolate

Estudantes devem se preparar para as provas

Estudantes devem se preparar para as provas

Gastão Guedes/Divulgação

Os estudantes chegaram na reta final para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), uma prova que testa conhecimentos e também a resistência dos alunos. Estar fisicamente bem é fundamental para manter o foco, a concentração e melhorar o desempenho.

Leia mais: Um guia completo para tirar todas as dúvidas sobre o Enem

Seguir uma dieta equilibrada nos dias que antecedem o exame, praticar exercícios físicos – sem exagero – e ter noites tranquilas de sono são alguns conselhos de especialistas. “É importante fazer uma alimentação balanceada, leve, à base de carnes brancas como peixe e frango, comer vegetais como feijão, grão de bico, lentilha e beterraba”, indica a nutricionista Edvânia Soares de Souza.

Nozes e castanhas são opções práticas e saudáveis para o dia de prova

Nozes e castanhas são opções práticas e saudáveis para o dia de prova

PEXELS

“Além desses itens de fácil digestão, oriento para a ingestão de alimentos com mais magnésio e triptofanos, encontrados em ovos, cereais, linhaça, aveia e quinoa. Eles promovem a sensação de bem-estar e evitam a fadiga que pode atacar no meio da prova”.

Leia mais: Enem: confira lista de documentos aceitos para fazer a prova

Evitar leite, iogurte e fermentados, principalmente quem mora em regiões de clima mais quente, também é importante, pois podem causar irritação na mucosa gastrointestinal.

“Sair muito da rotina, iniciar dietas muito diferentes ou introduzir alimentos não habituais ao seu consumo também é contra-indicado. O risco de apresentar uma infecção, diarreia ou alergia não pode ser ignorado”, alerta Edivânia.

Sanduíches feitos com pães à base de farinha branca não são recomendados

Sanduíches feitos com pães à base de farinha branca não são recomendados

Pixabay

Para passar longe da sonolência e da distração, o melhor é esquecer os carboidratos de origem refinada e o açúcar branco, grandes vilões nesse quesito. O conselho é da nutricionista Gabriela Cilla, que completa: “se for para levar chocolate, que contenham nozes ou castanhas, ou alguma fruta, assim diminui um pouco o índice glicêmico”.

Leia mais: Entenda como são elaboradas as questões do Enem

O pico glicêmico, de acordo com ela, é perigoso porque faz durar menos a sensação de saciedade. Resultado: mais fome, e mais rapidamente.

E na hora da prova? O ideal é priorizar os lanchinhos práticos, mas sempre buscar as opções mais saudáveis. “A barrinha de cereal é ótima ideia, pois reúne castanhas e frutas; garantem a energia por mais tempo, além de serem fáceis de carregar.

Se o aluno preferir levar sanduíches, estes devem ser feitos com pão integral recheado de proteína, que pode ser atum, frango ou queijo”, sugere Gabriela.

Beber água evita dores de cabeça, o primeiro sintoma de desidratação

Beber água evita dores de cabeça, o primeiro sintoma de desidratação

Área de Mulher

Manter a hidratação é fundamental, antes ou durante o exame. “O recomendado é beber 40ml de líquido, de preferência água, por quilo de peso corporal”, orienta a especialista Edvânia. Falta de água pode acarretar dores de cabeça, primeiro sintoma de desidratação.

“Sucos e chás também são opções, desde que não estimulantes nem excessivamente relaxantes. Não recomendo chá mate ou chá preto, nem café; são estimulantes e provocam euforia, queimam muita energia e não deixam o aluno chegar na reta final com o ânimo adequado”, conclui.

Prefira os chocolates com ao menos 60% de cacau

Prefira os chocolates com ao menos 60% de cacau

Pixabay

Quanto ao chocolate, grande estrela dos dias de prova, a recomendação de ambas as especialistas é consumir com cautela. Os melhores são os que apresentam mais de 60% de cacau, que é uma fonte de flavonoides – compostos antiinflamatórios que auxiliam na melhora do sistema nervoso central e nos neurotransmissores.

Amêndoas, castanhas, chips de frutas e lascas de coco natural desidratado são outras indicações para quem sente falta de um docinho. “São ricos em teanina, que ajuda na concentração”, conclui Edvânia.

Arte R7