Novo Coronavírus

Educação Jovens falam das dificuldades em concluir 3º ano na pandemia

Jovens falam das dificuldades em concluir 3º ano na pandemia

Estudantes enfrentam as incertezas, o desânimo e o medo diante da pandemia de coronavírus e as provas do Enem e vestibulares

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Luigi: força para vencer o desânimo

Luigi: força para vencer o desânimo

Arquivo Pessoal

"Se o terceiro ano do ensino médio mexe muito com o emocional, imagine em meio a uma pandemia?!", desabafa o estudante Luigi Meirelles Jeuken Di Domizio, aluno do Colégio Visconde de Porto Seguro, em Valinhos. Giovanna da Costa Cabêdo, aluna do curso de Secretariado em uma Etec (Escolas Técnicas Estaduais) na zona leste de São Paulo, enfrenta a "falta de disposição".

Dois jovens, duas realidades, mas as mesma dificuldade: concluir o último ano do ensino médio longe dos amigos e lidando com a pressão das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares.

"Um ano marcado por muitas mudanças, adaptações, não tivemos a nossa tradicional festa junina, nem as brincadeiras da sala, não tem como não ficar com o psicológico abalado", diz Luigi. "Além disso, o celular está sempre a mão, fica difícil não perder o foco na aula, na sala o professor chama a atenção, mas em casa, fica por sua conta."

Luigi, filho de médico e mãe dentista, pretende cursar Medicina. Para conseguir ingressar em uma boa universidade, além das atividades do colégio, assiste aulas em um cursinho online, faz simulados e tira dúvidas com os professores pelo grupo do Whatsapp.

Giovanna: desistiu das universidades públicas

Giovanna: desistiu das universidades públicas

Arquivo Pessoal

Para Giovanna o maior desafio é manter o foco e arrumar disposição para estudar.

O pai tem um depósito de gás e a mãe trabalha como vendedora em uma shopping. Ambos apoiam a filha a cursar uma faculdade. "Meu pai conversa muito sobre o mercado de trabalho e os cursos, eu pretendo estudar Contábeis, mas ainda não tenho certeza se é isso que quero, não é um sonho, mas acredito que possa trabalhar em um escritório no ano que vem."

"Ao mesmo tempo, eu tenho medo de não gostar do curso, de não me dar bem na área", conta. "Também desanimei de prestar as públicas, é muito difícil, devo tentar uma universidade particular não muito cara."

Além das incertezas deste ano, tem a vida que segue com os seus altos e baixos. "Meu avô teve uma AVC e minha avó fará uma cirurgia, fico triste, às vezes não tenho disposição para estudar, mas a gente arruma forças para seguir," conclui Luigi.

Últimas