Novo Coronavírus

Educação Nova Zelândia aprova auxílio para salvar setor de intercâmbio

Nova Zelândia aprova auxílio para salvar setor de intercâmbio

Governo destina mais de US$ 34 milhões para salvar o setor que é crucial para a economia do país e foi abalado pela pandemia

Primeira-ministra Jacinda Ardern em discurso

Primeira-ministra Jacinda Ardern em discurso

Bianca De Marchi / EFE - EPA - Arquivo

O governo da Nova Zelândia alocou mais de US$ 34 milhões (cerca de R$ 177,8 milhões) nesta segunda-feira (27) para salvar o setor educacional para estudantes estrangeiros, crucial na economia do país que foi seriamente afetada pelo fechamento de fronteiras devido à covid-19.

"A educação internacional, que inclui escolas, universidades e outras instituições de ensino, como o ensino da língua inglesa, é nossa quinta estrela exportadora e contribuiu com quase 2,8 bilhões de euros para nossa economia em 2018", disse a primeira-ministra Jacinda Ardern, em Wellington.

O plano de recuperação do setor educacional do país, cujo governo tem sido aplaudido em todo o mundo por sua estratégia para eliminar o vírus de seu território, surge em um contexto em que as fronteiras internacionais da Nova Zelândia devem permanecer fechadas pelo menos este ano.

Ela também salientou que, embora se espere que, no futuro, os estudantes estrangeiros possam entrar no país após concluir a quarentena, como também aspira a vizinha Austrália, no momento esses planos não podem ser implementados com segurança.

O montante destinado ao resgate de serviços de exportação de educação faz parte do Fundo de Recuperação de cerca de US$ 29,9 bilhões, 16,7% do PIB da Nova Zelândia, para impulsionar a criação de empregos após a crise da covid-19.

Um dos componentes da ajuda à educação internacional visa manter os empregos de professores especializados, para que eles possam continuar a prestar serviços educacionais a estudantes estrangeiros que permanecem no país.

A Nova Zelândia, que suspendeu todas as restrições ao distanciamento social em seu território no mês passado, registra atualmente 1.206 casos e 22 mortes por covid-19.

Últimas