Novo Coronavírus

Educação Plataformas online devem integrar 'novo normal' na USP e Unicamp

Plataformas online devem integrar 'novo normal' na USP e Unicamp

Ferramentas usadas no ensino remoto podem ser incorporadas às aulas presenciais após período de isolamento social 

Ferramentas devem auxiliar estudantes universitários no pós-pandemia

Ferramentas devem auxiliar estudantes universitários no pós-pandemia

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A tecnologia é uma realidade no ensino remoto e deve permanecer como ferramenta mesmo com as aulas presenciais. Essa é uma tendência que até as principais universidades do país, como a USP (Universidade de Sâo Paulo) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) devem seguir.

"A experiência do ensino remoto e o uso dos recursos digitais deve ser incorporados ao ensino presencial", afirma a pró-reitora de graduação da Unicamp, a professora Eliana Amaral. "A Unicamp já fazia uso dessas plataformas e com a pandemia o uso teve de ser ampliado e deve ser usado posteriormente ao isolamento social."

Esse período de ensino remoto mostra que as ferramentas online podem ser usadas para o envio de conteúdos e para o diálogo entre professores e aluno. "O que dá mais independência aos estudantes e abre mais espaço na sala de aula para as conversas e debates, mas cada professores fará uso de acordo com sua necessidade", avalia a pró-reitora da Unicamp.

Da mesma forma, a USP também deve manter o uso das plataformas com o retorno presencial, como um apoio acadêmico para os estudantes. 

Tendência que também deve ser seguida por universidades particulares. O grupo Ânima começou o processo de transformação digital em 2017, além do uso das plataformas, a instituição também aplica o vestibular online e já fornece o diploma digital, conforme as orientações do MEC (Ministério da Educação).

Últimas