Professores da Unifesp assinam carta de repúdio a Weintraub

Documento critica a gestão do ministro da Educação e foi entregue a parlamentares. Manifestos pedem mudanças no comando do MEC

Weintraub é criticado por professores

Weintraub é criticado por professores

Joédson Alves/EFE - 09.06.2020

Professores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) assinaram uma carta de repúdio às falas do ministro da Educação, Abraham Weintraub. O texto foi enviado a parlamentares e entidades ligadas à educação na terça-feira (9).

Esta é a primeira vez que os docentes da instituição se manifestam publicamente contra Weintraub, que também é professor na Unifesp. Na carta, os professores questionam o discurso do ministro na reunião do dia 22 de abril, quando ele chamou os membros do Supremo de "vagabundos".

Leia mais: Ministro Weintraub presta depoimento à PF e fica em silêncio

Os professores também afirmam que não se sentem representados por Weintraub e questionam sua gestão à frente do MEC.

A carta se soma a outros movimentos que pedem o afastamento do ministro da Educação. Desde sábado (6), parlamentares, especialistas e membros da sociedade civil colhem assinatura para o manifesto #ForaWeintraub. O texto questiona a sua gestão no comando da pasta e em assuntos considerados fundamentais como o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica).