Educação Professores de São Paulo decidem manter greve 

Professores de São Paulo decidem manter greve 

Paralisação iniciada em março teve continuidade aprovada em assembleia com 20 mil pessoas  

  • Educação | Do R7

A greve já dura 28 dias e terá a continuidade votada dia 17 de abril

A greve já dura 28 dias e terá a continuidade votada dia 17 de abril

Fabricio Bomjardim/ Brazil Photo Press/ Estadão Conteúdo

Os professores estaduais de São Paulo que estão em greve desde o dia 16 de março decidiram manter a paralisação em assembleia realizada nesta sexta-feira (10). A greve já dura 28 dias e terá a continuidade votada novamente na próxima assembleia do dia 17 de abril. O encontro será realizado na avenida Paulista. A categoria também planeja uma nova manifestação para a próxima quarta-feira (15).

A passeata organizada pelos professores depois do encontro de ontem, reuniu 20 mil pessoas na zona sul de São Paulo, por volta das 17h40, de acordo com a Polícia Militar.  

Os docentes reivindicam 75,33% de aumento salarial como necessário para a equiparação salarial com os profissionais de ensino superior completo (como determina o Plano Nacional de Educação).

Além disso, exigem a plena aplicação da jornada do piso, a reabertura de classes fechadas, o imediato desmembramento das salas superlotadas, uma nova forma de contratação de professores temporários, aumento do vale-transporte e refeição, transformação do bônus em reajuste salarial e água em todas as escolas para todos. 

Leia mais notícias de São Paulo

Professores de SP acumulam aulas para esconder paralisação, acusam grevistas

Secretaria de Educação diz que greve de professores é ‘ofensiva’ e ‘injustificável

Assista ao vídeo do Fala Brasil: 

Últimas