Novo Coronavírus

Educação SP anuncia volta do ensino superior em cidades na fase amarela

SP anuncia volta do ensino superior em cidades na fase amarela

Retorno presencial deve ocorrer com respeito aos protocolos sanitários e com, no máximo, 35% dos alunos matriculados em cada instituição

  • Educação | Do R7

Cursos superiores voltarão a funcionar em cidades da fase amarela

Cursos superiores voltarão a funcionar em cidades da fase amarela

Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

As aulas práticas presenciais de cursos superiores e profissionalizantes e de educação complementar voltarão a funcionar em São Paulo em cidades que estejam na fase amarela há mais de 14 dias. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (13) pelo governador de São Paulo João Doria e pelo secretário de educação Rossielli Soares.

O retorno deve ocorrer com as instituições respeitando regras e protocolos sanitários e com, no máximo, 35% dos alunos matriculados em cada instituição. A prioridade, segundo o secretário estadual de Educação, é para os cursos da área da saúde.

"A cidade de São Paulo já está há 14 dias na fase amarela. Portanto, a universidade, se desejar, poderá voltar com as aulas na área da saúde", afirmou Rossieli Soares, que voltou a participar presencialmente das coletivas de imprensa no Palácio dos Bandeirantes. 

Os cursos de educação complementar, como idiomas, informática e de artes, poderão ser retomados desde que as cidades em que as escolas se localizam estejam na fase amarela. "Esses cursos não são regulados, são prestações de serviço para os cidadãos. Agora, elas passam a seguir as regras do Plano São Paulo", explicou o secretário Rossieli Soares. 

Segundo ele, a educação complementar se enquadra no setor de serviços, o que permite a reabertura de acordo com a classificação do Plano São Paulo. "São cursos livres, uma escola de inglês pode se fazer em quantos semestres quiser. O ensino médio, não. Cursos livres, de curta duração também se enquadram pois não tem uma regulação direta", afirmou o secretário.

Ensino à distância

O secretário estadual de Educação comentou ainda a educação à distância para estudantes de São Paulo. "A educação teve de se reinventar em todo o país e em São Paulo não foi diferente. Nós evoluimos muito, somos multiplataforma, temos dois canais de televisão", afirmou.

"No aplicativo, temos uma estabilidade, temos as redes sociais e os materiais físicos. Tudo o que foi feito até agora, quando voltarmos teremos que fazer o maior programa de busca ativa, seja para os que acompanharam, seja para aqueles que não acompanharam."

Últimas