Educação SP: Professores e alunos podem indicar livros para o acervo escolar

SP: Professores e alunos podem indicar livros para o acervo escolar

Seduc-SP iniciou o processo de indicação das obras para promover a leitura e ampliação do acervo das escolas na rede estadual

Professores e alunos da rede pública de ensino em SP já podem indicar livros para acervo

Professores e alunos da rede pública de ensino em SP já podem indicar livros para acervo

Divulgação Freepik

A Seduc-SP (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) iniciou o processo de indicação de livros para promover a leitura e a ampliação do acervo das escolas da rede estadual de ensino.

Pelo segundo ano, estudantes e professores do ensino fundamental (anos iniciais e finais), ensino médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) da rede pública estadual podem sugerir títulos técnicos e literários. Vinculada à Coped (Coordenadoria Pedagógica), a ação está na fase de mobilização da comunidade escolar.

Entre os estudantes, é permitida a indicação de até cinco títulos literários. Já os docentes podem optar por cinco títulos literários voltados aos educandos e outros cinco títulos técnicos para o aprimoramento das práticas pedagógicas. Neste ano os educadores do ensino médio também poderão indicar mais dois títulos de obras técnicas voltados para cada Itinerário Formativo que a escola ofertar a partir do próximo ano letivo.

Com orientação do Programa Sala de Leitura, o primeiro período nas escolas ocorre até o dia 17 de setembro. Na sequência, esses dados serão ranqueados e passados à Diretoria de Ensino. Após, estão previstas algumas etapas: aquisição dos títulos, gestão e logística das entregas, controle de qualidade, além de orientações de práticas pedagógicas para o uso deste acervo.

Alinhado ao Plano Estadual de Educação e o Plano Estratégico 2019-2022, o processo da 2ª Indicação de Livros já apresentou bons números na primeira edição, que ocorreu em novembro de 2020. Foram adquiridos mais de 1,3 milhão de exemplares de 272 títulos, segundo a Coped. O montante foi distribuído em 100% da rede a 5,1 mil escolas estaduais.

Últimas