Educação Superexposição de alunos por escolas pode colocar crianças em risco; veja como protegê-las

Superexposição de alunos por escolas pode colocar crianças em risco; veja como protegê-las

Redes sociais aproximam família da rotina escolar, mas alguns cuidados precisam ser tomados 

Imagem das crianças deve ser preservada pela escolas

Imagem das crianças deve ser preservada pela escolas

Thinkstock

Míriam* tomou um susto ao se deparar com a foto de seu filho João*, de quatro anos, na página do Facebook da escola onde a criança estuda. Na imagem, o pequeno estava ao lado de outros amigos em um passeio escolar. Ao investigar mais um pouco a página, a mãe viu outras fotos, que mostravam a rotina da sala de aula, as festas e saídas da turma para excursões.

O problema é que Míriam não foi consultada sobre o uso das imagens, principalmente em uma página aberta ao público em geral, na qual, qualquer pessoa conectada à internet teria acesso às fotos e a um pouco da rotina do seu filho. O caso de Míriam não é isolado.

Muitas escolas, com o intuito de promover suas atividades e disponibilizar fotos para os pais corujas, têm recorrido às páginas nas redes sociais, principalmente o Facebook, para ajudar na divulgação de ações escolares. Acontece que, por detrás de uma atitude, muitas vezes ingênua, as instituições expõem menores de idade sem a autorização dos pais, facilitando, até mesmo, a ação de criminosos.

Irene Maluf, especialista de psicopedagogia e conselheira da ABP (Associação Brasileira de Psicopedagogia), afirma que a vulnerabilidade da imagem das crianças pode começar na assinatura do contrato da escola, que pode conter cláusulas que passam despercebidas sobre o uso de imagem dos alunos.

— As escolas e professores acham que têm o direito de expor o aluno, mas a imagem do menor é exclusiva dos pais. Assim como a instituição e seus funcionários não levam as crianças para lugar algum sem a autorização dos pais, o mesmo vale para a divulgação da imagem de seus filhos. Se um pai ou mãe se sentir incomodado com a foto, ele pode pedir para que ela seja retirada imediatamente da página. 

A nova geração é primeira a viver a superexposição das redes, por isso, Irene alerta para os possíveis danos causados pela divulgação das imagens das crianças, principalmente aquelas sem autorização dos pais.

— Essa exposição faz com que as crianças se preocupem com a imagem antes mesmo delas precisarem fazer isso. Os pais têm a obrigação de preservá-la [a imagem], assim como a escola, que deve tomar muito cuidado com o que coloca na internet e deve, inclusive, orientar os professores para que eles também não publiquem fotos dos alunos em suas páginas pessoais.

Indenização

Colocar uma foto de um aluno na internet sem a autorização dos pais pode gerar indenização na Justiça. Entretanto, ainda não é em todos os casos.

A advogada Tiara Kye Sato afirma que a intenção da escola é levada em consideração pela Justiça na hora de avaliar uma ação de uso de imagem.

— Se for uma foto genérica, na qual aparece uma série de crianças brincando, por exemplo, é difícil a Justiça definir qual o foco da imagem. Pode ser que um pai diga que é o seu filho que está em evidência, e outra mãe diga que é o filho dela. Agora, caso a imagem esteja sendo usada como publicidade, como para promover a escola e conseguir mais alunos, os pais podem ser indenizados.

No caso de haver uma cláusula do contrato de adesão da escola sobre a cessão dos direitos de imagem da criança, a advogada alerta que é possível pedir a retirada do item, inclusive posteriormente a sua assinatura.

Mesmo com esses cuidados, os pais devem ficar atentos que, apesar de vantagens e facilidade quanto ao acesso às fotos dos filhos, a exposição da rotina pode facilitar a ação de pessoas mal-intencionadas.

— É perigoso divulgar a rotina dos alunos. O acesso ao interior do colégio pode ser mais difícil, mas as crianças que moram próximas podem ficar mais vulneráveis. Não é certo usar a imagem dos filhos sem o controle dos pais.

*Os nomes foram alterados para preservar a identidade dos entrevistados

Leia mais notícias sobre Educação no R7

Experimente de graça assisistir programas da TV Record online

Últimas