Educação Universidade Federal abre vagas para haitianos residentes no Brasil

Universidade Federal abre vagas para haitianos residentes no Brasil

As inscrições podem ser feitas até 19 de janeiro de 2015; aulas começam em 16 de março 

Universidade Federal abre vagas para haitianos residentes no Brasil

Os haitianos que foram regularmente admitidos no Brasil ou que obtiveram visto humanitário podem se candidatar

Os haitianos que foram regularmente admitidos no Brasil ou que obtiveram visto humanitário podem se candidatar

Eduardo Enomoto/R7

Considerando os 21.430 haitianos que passaram a residir no Brasil entre os anos de 2010 e 2013, segundo dados do Ministério da Justiça, a Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), em Foz do Iguaçu (PR), decidiu destinar vagas em seus cursos de graduação aos estrangeiros da América Central.

Os haitianos que foram regularmente admitidos no Brasil ou que obtiveram visto humanitário podem se candidatar a vagas nos 29 cursos da universidade. As vagas, uma por curso, são para ingresso no primeiro semestre letivo de 2015. As inscrições podem ser feitas até 19 de janeiro próximo.

Para concorrer às vagas na Unila, os cidadãos do Haiti precisam atender seis requisitos, entre os quais, ter nacionalidade haitiana legalmente comprovada, ser residente em território brasileiro, ser maior de 18 anos, não possuir diploma universitário.

A inscrição é gratuita e o candidato deve preencher um formulário eletrônico com diversos dados pessoais e redigir uma carta, em português ou espanhol, onde destaca o curso que deseja fazer, o estágio de sua formação educacional, experiências educacionais anteriores, expectativas profissionais, idiomas e currículo.

A seleção será feita por uma banca da Unila e o resultado será publicado no portal da universidade em 30 de janeiro. O início das aulas será em 16 de março.

Decisão 

A abertura de vagas na graduação da Unila para haitianos foi uma decisão tomada pelo Conselho Universitário, que instituiu o Programa Especial de Acesso à Educação Superior para estudantes haitianos (Pró-Haiti).

Os objetivos do programa são contribuir para a integração dos haitianos à sociedade brasileira, fortalecer o intercâmbio acadêmico com o sistema de ensino do Haiti.

A resolução, de acordo com o portal da Unila, considera a situação dos haitianos refugiados e a destruição do ensino superior naquele país, em decorrência do terremoto de 2010. “Além disso, leva em consideração o fato de os haitianos serem vítimas de xenofobia na América Latina”, de acordo com o portal.

Leia mais notícias de educação no R7