Enem 2020

Educação Voluntários promovem reforço gratuito para o Enem 2020

Voluntários promovem reforço gratuito para o Enem 2020

Projeto organizado por um grupo de universitários promove reforço gratuito para alunos de todo o Brasil que pretendem prestar o Enem

 Divulgação do projeto foi feita pelo Whatsapp

Divulgação do projeto foi feita pelo Whatsapp

Divulgação/Reforço pro Enem

Voluntários de diferentes universidades de São Paulo formam uma equipe para auxiliar gratuitamente alunos que farão as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em meio à pandemia de covid-19.

O projeto, chamado de Reforço pro Enem, conta com revisões online de 14 matérias, incluindo redação, nas quais os 17 voluntários expõem a matéria, respondem dúvidas e resolvem exercícios de provas passadas. As primeiras lives foram feitas no dia 25.

Leia também: Estudantes e cursinhos enfrentam os desafios da pandemia

A idealizadora, Evelyn Malzoni, de 18 anos, é aluna de Relações Públicas na Faculdade Cásper Líbero e conta que o projeto surgiu de maneira despretensiosa.

"Uma amiga que estuda em escola pública precisava de ajuda nos estudos. Ela estava com as aulas suspensas e pensei que podia dar algumas aula", conta. "Chamei outros amigos para ajudar e, quando vi, já estava com a equipe formada, o suficiente para ajudar outras pessoas", conta.

Confira: Mapa do Ensino Superior aponta maioria feminina e branca

A divulgação foi feita pelo Whatsapp e se espalhou por todo o Brasil. O projeto conta com quase 250 alunos, sendo 89% de escolas públicas e 61% na faixa etária entre os 15 e 17 anos. 

"Nosso objetivo é poder ajudar aqueles que foram prejudicados pelo isolamento., principalmente em um país onde a educação não é muito justa", diz Evelyn. "Não queremos só reclamar, mas colocar a mão na massa".

Leia também: Estudantes de São Paulo têm atendimento psicológico online

O projeto não possui financiamento e no momento procura apoio nas redes sociais para conseguir fazer as aulas em uma plataforma mais adequada.

Impacto

"Eu estava ficando sem esperança", diz Ana Lívia

"Eu estava ficando sem esperança", diz Ana Lívia

Acervo pessoal

A estudante Ana Lívia dos Santos, de 18 anos, é aluna da rede pública de São Paulo e participa do projeto.

"Esse é meu primeiro Enem, eu não tinha dinheiro para pagar a inscrição dos outros", conta. "Com o cancelamento das aulas, eu estava ficando sem esperança", desabafa.

Ana soube do projeto por uma amiga. "Entrei por curiosidade. Não queria perder a oportunidade de aprender de graça e queria saber como as aulas funcionam".

Para a estudante, o formato das lives e o auxílio dos voluntários amenizaram suas preocupações: "Tenho problemas para estudar sozinha e sinto muito a falta das aulas presenciais, mas os voluntários me acalmaram. Eles se esforçam muito para ajudar a responder todas as perguntas durante as aulas", conta.

* Estagiário do R7, sob supervisão de Karla Dunder

Últimas