Eleições 2014 Apresentador que tomou choque ao vivo ao tocar em cacho de uva deixa TV para disputar Senado pelo PDT

Apresentador que tomou choque ao vivo ao tocar em cacho de uva deixa TV para disputar Senado pelo PDT

Lasier Martins disse que escolheu sigla por causa da educação e para homenagear o pai

Apresentador que tomou choque ao vivo ao tocar em cacho de uva deixa TV para disputar Senado pelo PDT

Lasier Martins deixou a televisão para disputar uma vaga no Senado

Lasier Martins deixou a televisão para disputar uma vaga no Senado

Divulgação/PDT

O apresentador de TV Lasier Martins, que ficou famoso ao tomar um choque durante uma reportagem na Festa da Uva de Caxias do Sul (RS) em 1996, anunciou nesta segunda-feira (7) que vai deixar a telinha para se candidatar ao Senado Federal pelo PDT.  

Martins, que apresentava o jornal do Almoço do Grupo RBS, explicou os motivos que o levaram a escolher o PDT.  

— Precisei optar por um partido e optei pelo PDT por duas razões principais. Primeiro pelo seu programa partidário, que coloca como princípio primeiro o compromisso com a educação. Por outro lado, homenageio nessa escolha a memória do meu pai, que sempre foi trabalhista.  

Leia mais notícias de Brasil e Política

Martins disse que tomou a decisão no fim da semana passada e explicou que iria cumprir o guia de ética da empresa jornalística em que trabalhava.  

— Saio agora para respeitar o elogiável guia de ética da RBS, tanto quanto pelo entendimento de que não seria ético nem justo continuar me valendo de uma exposição vantajosa na mídia, que outros concorrentes não teriam, mesmo faltando um ano para o pleito.  

Em seguida, Marins disse que recebeu vários convites nos últimos anos para entrar na política e pediu aos telespectadores para ser fiscalizado, se for eleito.  

— Nesses anos, recebi incontáveis convites de partidos para me filiar e concorrer, mas preferi amadurecer na comunicação social. Também nunca faltou quem procurasse a mim para me dissuadir de entrar na política alegando que acabaria contraindo os vícios que têm desvirtuado e desacreditado a política no Brasil, que eu seria com o tempo mais um mal falado por opção a conveniências pessoais em lugar do interesse coletivo, que acabaria conivente com os desvios, escândalos, desperdícios de recursos públicos, etc. Tranquilizo essas pessoas e peço que me fiscalizem daqui por diante, se tiver oportunidade de ser eleito.   

Martins é advogado e atuava há 27 anos na empresa, onde se tornou conhecido pelos comentários na televisão e no rádio.