Dilma Rousseff vence Aécio Neves nas urnas e é reeleita presidente do Brasil por mais quatro anos

Com 100% das urnas apuradas, presidente atinge 51,64% dos votos válidos e tucano, 48,36%

Do R7

A candidata Dilma Rousseff (PT) derrotou o senador Aécio Neves (PSDB) nas urnas no segundo turno das Eleições 2014 deste domingo (26) e foi reeleita para a Presidência da República para governar o Brasil por mais quatro anos, entre 2015 e 2018.

Com 100% das urnas apuradas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a candidata alcançou 51,64% dos votos válidos até o momento, possui 54,4 milhões de votos e, matematicamente, não pode mais ser ultrapassada por Aécio Neves, que chegou aos 48,36% dos votos válidos e tem 51 milhões de votos.

Na sétima eleição do País após a redemocratização, os votos brancos somam 1,71% do total (1,9 milhão), e os nulos são 4,64% (5,1 milhões) neste momento. A abstenção no segundo turno das eleições gira em torno dos 21,07% (29,8 milhões). O Brasil tem 142,8 milhões de eleitores.

Leia mais notícias de Eleições 2014

Em 2010, Dilma Rousseff (PT) venceu José Serra (PSDB) nas urnas no segundo turno com 55,7 milhões de votos, contra 43,7 milhões de votos do tucano. Primeira mulher a ser eleita em 2010 e reeleita em 2014, Dilma será a 41ª presidente da história do Brasil.

Trajetória política

A carreira política de Dilma começou em Porto Alegre (RS), quando ajudou a fundar e se filiou ao PDT e se tornou assessora do partido na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul no final da década de 1980.

Também foi secretária de Fazenda de Porto Alegre, presidiu a Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul e secretária de Energia e Comunicação do Rio Grande do Sul.

A carreira política começa a decolar, porém, quando assume o Ministério das Minas e Energia no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002. Três anos depois, em 2005, substitui o então ministro José Dirceu na Casa Civil. Ela se torna a “mãe do PAC” e impulsiona o programa Minha Casa Minha Vida.

Em 2010, Lula escolhe Dilma para sucedê-lo na Presidência da República. Nas eleições daquele ano, Dilma derrota José Serra (PSDB) nas urnas. Em 2014, ela volta a vencer o partido tucano para permanecer mais quatro anos no Planalto.

Dilma liderou as pesquisas eleitorais e confirmou vantagem na urna
Dilma liderou as pesquisas eleitorais e confirmou vantagem na urna Ichiro Guerra/26.10.2014/Divulgação

Campanha eleitoral

No primeiro turno das Eleições 2014, Dilma enfrentou outros dez adversários na corrida ao Planalto — com especial destaque para o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), então vivo; Marina Silva (PSB), que substituiu o pernambucano; e seu rival até o fim da votação, Aécio Neves (PSDB).

No início da campanha, as pesquisas eleitorais indicavam que Aécio Neves seria seu principal adversário até a reeleição. No entanto, Eduardo Campos se apresentava como a terceira via e também recebia expressiva manifestação de voto.

Com a morte de Campos, porém, Marina Silva assumiu a cabeça da chapa e o cenário eleitoral mudou. Ela ultrapassou Aécio nas pesquisas e assumiu o segundo lugar – atrás exatamente de Dilma. No primeiro turno, porém, Aécio se destacou nos últimos debates eleitorais e Marina sucumbiu aos ataques que recebeu dos adversários via imprensa. O tucano superou Marina e foi ao segundo turno com Dilma.

A campanha esquentou nos primeiros dias do segundo turno, com trocas de acusações entre os candidatos e poucas propostas apresentadas. O clima ficou mais ameno a uma semana do pleito, no debate da TV Record, quando Dilma e Aécio evitaram polêmicas e discutiram ideias.

Na véspera do pleito, as últimas pesquisas eleitorais de institutos como o Datafolha e MDA Pesquisa apontavam empate técnico de Dilma sobre Aécio. Já o Ibope e o Vox Populi indicavam Dilma na frente de Aécio. As urnas confirmaram essa tendência neste domingo, e a presidente ficará no Planalto mais quatro anos, até 2018.

  • Espalhe por aí:
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log