Ministério da Justiça vai apurar ação da PF contra comitiva de Lobão Filho, diz Temer

Vice-presidente disse que buscas foram agressivas e defendeu apuração de eventuais excessos

Ministério da Justiça vai apurar ação da PF contra comitiva de Lobão Filho, diz Temer

Temer se encontrou nesta quinta com empresário em São Paulo

Temer se encontrou nesta quinta com empresário em São Paulo

Gabriel Garcia Soares/25.9.2014/Estadão Conteúdo

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), disse nesta quinta-feira (25) que o Ministério da Justiça vai apurar se houve irregularidades na ação da Polícia Federal contra uma comitiva do candidato ao governo do Maranhão, senador Edison Lobão Filho (PMDB), na cidade de Imperatriz.

Mais cedo, Temer divulgou uma nota de repúdio à ação, que apurava denúncia de recursos ilegais na campanha.

— Eu lancei uma nota dizendo que é inadmissível, especialmente se tiver um fundamento eleitoral. Mas acabo de receber um telefonema do ministro José Eduardo Cardozo dizendo que vai mandar verificar o que houve. Mesmo se a ação foi fundada em mandado judicial, ela deve guardar certos pressupostos, digamos assim, de tranquilidade na própria investigação.

Leia mais notícias de Eleições

Após participar de um encontro com empresários do setor de tecnologia da informação e comunicação, no centro de São Paulo, o vice-presidente também afirmou que as buscas na aeronave e na bagagem dos membros da comitiva foram realizadas de maneira agressiva e defendeu a apuração de eventuais excessos.

Temer, que também é candidato à reeleição na chapa da presidente Dilma Rousseff (PT), se comprometeu com os empresários a intermediar, junto ao Congresso Nacional, a aprovação de legislação favorável ao setor. Depois, saiu para uma rápida caminhada no centro da cidade. Questionado sobre a ausência do candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Paulo Skaf, no ato desta tarde, Temer disse que ele estava cuidando da própria campanha.

A caminhada foi acompanhada por membros da Central dos Sindicatos Brasileiros, que empunhavam cartazes com a expressão “Nem que a Vaca Tussa”, utilizada por Dilma para reafirmar que não revogará direitos trabalhistas.

O vice-presidente disse que marcou o ato para “fazer imagens com os sindicalistas” e completou o trajeto sem cumprimentar eleitores.